Dúvida da leitora: Porque fico “bêbada” mais rápido quando ingiro álcool de estômago vazio?

30 09 2011

Porque fico “bêbada” mais rápido quando ingiro álcool de estômago vazio?

P.S.R – Minas Gerais

Porque o álcool já começa a ser absorvido no estômago, se ele estiver vazio cerca de 20% do etanol e absorvido rapidamente e encontra o cérebro o que faz com que fique “bêbada” rápido. Quando o estômago está “cheio” as moléculas de etanol se misturam ao alimento e demoram mais tempo para entrar em contato com a mucosa gástrica (parede do estômago).

Além disso, o álcool é metabolizado através de uma enzima chamada álcool desidrogenase. Essa enzima reduz a quantidade de etanol absorvido diretamente para a corrente sanguínea. A mulher tem menor capacidade de produzi-la e por isso tem menor resistência ao álcool.





Evite o desperdício

27 09 2011

A falta de orientação ou o mau hábito são o que leva os brasileiros a desperdiçarem toneladas de alimentos diariamente. Enquanto um cidadão consome 35 quilos de hortaliças anualmente, ele joga fora outros 37 quilos. Já uma família de classe média joga fora mais de 180 quilos de comida todos os anos, o que poderia alimentar uma criança que passa fome por seis meses.

As informações são da nutricionista Ana Cláudia Montes Cardoso, que afirma que partes do alimento que posteriormente iriam para o lixo podem ser bem aproveitadas, servindo para suprir a carência de nutrientes no organismo e tornando o cardápio mais saudável e criativo. “O cabelo do milho, por exemplo, tem mais vitamina C, potássio, proteínas, cálcio, carotenóide e fósforo do que o bagaço”, disse.

Nutricionista Ana Cláudia Montes sugere formas de reaproveitar os alimentos

Segundo a nutricionista, não só dentro dos lares, mas desde restaurantes até as crianças nas escolas precisam ter uma educação nutricional. O excesso de manuseio dos alimentos nos supermercados por parte dos clientes também agravam o desperdício de alimentos. “É preciso eliminar alguns preconceitos alimentares de que esse tipo de alimentação é somente usado em programas sociais voltados para população de baixa renda. O reaproveitamento dos alimentos ajuda a diminuir doenças como obesidade e pressão alta”, disse.

 Reaproveitando com saúde

Para evitar o desperdício o empresário Ricardo Silva Oliveira busca maneiras de reaproveitar os alimentos no restaurante que possui há mais de um ano. Diariamente são processados 120 quilos de alimentos, oferecidos a aproximadamente 230 clientes.

Talos de hortaliças, como da couve-flor, são utilizados para produzir novas receitas. “Outra forma de evitar o desperdício é elaborar os pratos aos poucos, de acordo com a demanda. Quando chega ao final do expediente, as cubas estão vazias e todos os clientes foram atendidos com comida fresca e sem desperdícios”, disse Ricardo.

O empresário acredita que o consumidor brasileiro ainda não tem maturidade para apreciar algum tipo de alimento elaborado a partir de cascas, principalmente em um restaurante onde ele está pagando pelo alimento. Mas ele tenta mudar esta realidade oferecendo pratos nutritivos aos clientes.

O que pode ser reaproveitado?

– Os talos de couve, agrião, beterraba, brócolis e salsa contêm mais nutrientes e fibras que a própria hortaliça. Devem ser aproveitados em refogados, farofas, no feijão e na sopa.
– Não jogue fora os talos do agrião, pois eles contêm muitas vitaminas. Limpe, pique e refogue com tempero e ovos batidos.
– As folhas da cenoura são ricas em vitamina A. Devem ser aproveitadas para fazer bolinhos, sopas ou picadinhos em saladas.
– A água do cozimento das batatas acaba concentrando todas as vitaminas. Aproveite-a, juntando leite em pó e manteiga para fazer purê.
– A casca da laranja fresca pode ser usada em pratos doces à base de leite, como arroz doce e cremes.
– A parte branca da melancia pode ser usada para fazer refogados com carne moída.
– Com as cascas das frutas (goiaba e abacaxi), pode-se preparar sucos batendo-as no liquidificador.
– Sementes de mamão no suco, vitaminas e geleias, são usadas para agir na excreção da bílis, limpando o fígado e o estômago.

Dia Mundial da Alimentação

No dia 16 de outubro é comemorado o Dia Mundial da Alimentação, quando acontecem atividades de conscientização da sociedade quanto a luta contra a fome, desperdício e cooperação econômica. Em Uberlândia, os membros do Conselho de Nutricionista vão promover uma mobilização em torno da temática da “Fome, Obesidade, Desperdício: Não Alimente este Problema”. Entre as atividades que acontecerão no Parque do Sabiá, haverá avaliações nutricionais, doações de mudas de árvores frutíferas, atividades físicas e exposições de trabalhos de entidades.

Anote a receita:

Tomates Recheados com sobras de arroz

1 xícara (chá) de sobras de arroz
2 colher (sopa) de salsa picada
2 ovos cozidos
2 colheres (sopa) de queijo ralado
6 tomates grandes
10 azeitonas verdes

Corte os tomates ao meio e retire a sementes. Misture o restante dos ingredientes e recheie os tomates.

MINHA DICA: Utilize receheios diferentes, você pode misturar o que sobrou de carne moida, feijão e arroz e colocar dentro do tomate, pure de batata, strogonoff também, frango desfiado, legumes picados e cozidos. Além disso faça cortes diferente como o da imagem, fica um prato bonito e se você tiver alguma criança ela vai adorar.

Cocada de melancia

500 gramas de entrecasca de melancia
20 gramas de margarina
350 gramas de açúcar
1 coco

Caramelizar 100 gramas de açúcar. Acrescentar a entrecasca de melancia ralada e mexer em fogo brando. Acrescentar o cdco ralado, 250 gramas de açúcar e 300 ml de água. Cozinhar até soltar do fundo da panela. Passar toda a margarina numa superfície lisa e colocar o doce a colheradas.

 

FONTE: Jornal Correio de Uberlândia





Balão intragástrico

27 09 2011

Balão IntragástricoCom aumento no número de obesos e a preocupação com as complicações da obesidade mais uma técnica está sendo usada. Na minha opinião é uma das melhores intervenções médicas no tratamento da obesidade, já que não oferece tantos ricos como uma gastroplastia (cirurgia de redução de estômago). Mas assim como a gastroplastia e qualquer outro método utilizado para emagrecimento deve-se atentar para REEDUCAÇÃO ALIMENTAR, manter uma dieta saudável com todos os nutrientes necessário fará com que você perca peso e mesmo assim mantenha a saúde, afinal emagrecer não é somente diminuir medidas (saiba melhor aqui)

 

Segundo o Dr. Pablo Miguel, diretor do Centro de Obesidade  a técnica consiste na introdução de uma balão inflável de silicone dentro do estômago por via endoscópica, associado a uma leve sedação. O Balão então é inflado com cerca de 500 a 700ml de soro fisiológico corado com tintura azul de metileno (essa tintura sai na urina, caso haja algum rompimento do balão, possibilitando assim que ele seja retirado imediatamente). O tempo máximo de permanência com o Balão é de 6 meses que é o tempo de garantia do fabricante. A retirada do balão é feita também por endoscopia.

Balão dentro do Estômagobalão intragástrico

O objetivo do balão é que em contato com a parede do estômago (fundo gástrico) estimule os receptores que sinalizam para sistema nervoso central (cérebro) provocando saciedade. O espaço ocupado por ele também diminui o espaço para os alimentos, então a pessoa come menos. Tudo isso gera uma diminuição calórica considerável.

Mas nem só de calorias vive o homem, não é verdade?!?! Precisamos também de nutrientes (vitaminas e minerais), porO BIB flutuando livremente no estômago isso é imprescindível acompanhamento com nutricionista. Só ele poderá quantifica as calorias e distribuí-las de forma que seu metabolismo se mantenha funcionando (o que também facilita a perda de peso) e adequar as vitaminas e minerais essenciais para sucesso do tratamento.

O balão é indicado para pessoas com IMC abaixo de 35Kg/m² que não respondem a tratamento clínico por mais de três anos (mas tem que tentar esses métodos, ok! Não são 3 anos fazendo dieta de revista não!!!). Pacientes obesos com IMC maior que 35 que não podem ser submetidos a cirurgia de obesidade, ou aqueles que não querem se submeter a essas cirurgias.

Calcule seu IMC: Peso/altura², ou seja, Peso/altura x altura

Em todos os casos o acompanhamento com NUTRICIONISTA é MUITO IMPORTANTE!!!

 

FONTE: Centro de Obesidade





Esclarecimentos sobre materias sobre plantas medicinais veiculadas na Revista Epoca e no Fantastico

26 09 2011

 Tendo em vista as matérias veiculadas na Revista Época sobre plantas medicinais e a série “É bom pra quê?”, exibida no Fantástico, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) esclarece: 29 de novembro de 2010

1) Houve equívocos nas informações repassadas, como: conceitos distintos foram abordados de forma confusa. Chá, planta medicinal, droga vegetal e medicamento fitoterápico são conceitos diferentes, bem definidos pela atual legislação sanitária brasileira.

2) Não existe, no Brasil, a categoria regulatória “complemento alimentar”, como citado na revista Época. Plantas medicinais industrializadas só podem ser comercializadas como medicamento fitoterápico ou como droga vegetal.

3) Na série foram apresentadas formas de uso de plantas medicinais não regulamentadas e incorretas, contra as quais a Vigilância Sanitária atua para coibir. A série foi parcial, não demonstrado o outro lado, do uso regular da fitoterapia que cura pessoas há centenas de anos.

4) Todo medicamento registrado no Brasil, seja ele sintético, biológico ou fitoterápico, deve demonstrar estritos critérios de eficácia, segurança e qualidade para ser liberado à população. No caso dos fitoterápicos, as exigências estão definidas na Resolução RDC no 14 de 2010, uma das legislações mais rígidas e avançadas do mundo.

5) A RDC no 14 foi republicada em abril deste ano, após ficar 30 dias em consulta pública. Durante este período, a proposta de resolução não recebeu nenhuma manifestação contrária.

6 ) Ao todo, são cerca de 500 fitoterápicos registrados na Anvisa. Para todos esses foi feita avaliação da segurança, eficácia e qualidade.

7 ) As solicitações de registro de medicamentos fitoterápicos passam por criteriosa análise técnica e geram o maior índice de indeferimentos de solicitações de registro da área de medicamentos na Anvisa: 43%. Esse valor é maior do que o praticado para medicamentos genéricos e similares (23,4%) e para medicamentos novos (13%), demostrando a rigidez do controle na liberação desses medicamentos a população.

8 ) O processo de produção e controle de qualidade de indústrias produtoras destes medicamentos também deve ser adequado aos padrões de produção internacional de medicamentos, definidos pela Resolução RDC 17, de 2010, que abrangem, desde os requisitos comuns aplicados aos medicamentos sintéticos, como também os requisitos adicionais específicos para produção de medicamentos fitoterápicos.

9) Para o acompanhamento dos medicamentos que já estão no mercado, a Anvisa possui um sistema de farmacovigilância consolidado, que detecta não só eventos adversos, mas também ineficácia de produtos.

10 ) Ao contrário do que foi afirmado na matéria, existem vários estudos científicos sobre plantas medicinais e sobre cada uma das espécies vegetais registradas como medicamento fitoterápico. As publicações brasileiras nesta área passaram de 24, em 1984, para 1.431, em 2004, ou seja, apresentaram um crescimento de 60 vezes no período, levando o Brasil ao patamar de líder absoluto das publicações internacionais na área de plantas na América Latina, com quase metade das publicações da região.

11) Em revisão rápida em bancos de dados científicos disponíveis, pode-se citar, como exemplo, estudos para algumas espécies: a Soja (Glycine max) apresenta 4032 artigos científicos publicados, sendo 14 desses revisões sistemáticas sobre suas atividades; a Alcachofra (Cynara scolymus) possui 903 estudos científicos publicados, sendo pelo menos cinco deles sobre estudos clínicos. Para a Garra-do-diabo (Harpagophytum procumbens) foram encontrados 272 artigos, com 32 ensaios clínicos. O Ginkgo (Ginkgo biloba), em apenas uma base de dados, possui 2242 artigos científicos publicados, destes, pelo menos 50 estudos clínicos.

12) Há ainda estudos adicionais que não estão disponíveis nos bancos de dados pesquisados porque foram realizados pelas empresas para comprovar a segurança e eficácia do produto. Esses dados são sigilosos, estando disponíveis, apenas, para a autoridade sanitária no processo de solicitação de registro.

13) A lista de drogas vegetais da Anvisa traz alegações de uso tradicional e não “indicações terapêuticas imprecisas”, como foi afirmado durante um dos episódios da série “É bom pra quê?”. A possibilidade de uso de plantas medicinais como drogas vegetais, conforme determinado pela RDC 10 de 2010, é apenas uma forma de disponibilizar à população plantas medicinais com qualidade. Importante ressaltar, também, que apenas constam da lista as plantas que foram avaliadas quanto à segurança e uso tradicional. Ao invés de adquirir a planta coletada em locais sujeitos a contaminações, sem a correta identificação e recomendação de uso, essas plantas podem ser adquiridas industrializadas em embalagens padronizadas com todas as informações sobre sua forma correta de uso. As drogas vegetais são produtos tradicionais indicados para o alívio de sintomas de enfermidades de baixa gravidade, devendo ser utilizadas por curto período de tempo.

14 ) É importante ressaltar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) estimula os governos a estabelecerem políticas para medicamentos fitoterápicos e plantas medicinais, no intuito de que os países utilizem recursos naturais disponíveis em seus próprios territórios para promover a atenção primária à saúde. No documento “National Policy on Traditional Medicine and Regulation of Herbal Medicines – Report of a Global Survey”, que publica pesquisa realizada pela OMS em 2003, demonstra-se que 53 estados membros (37%) da OMS, àquela época, tinham regulamentação para medicamentos fitoterápicos e 42 (49%) dos países que não tinham estavam em processo avançado de regulamentação. Esses dados demostram que a fitoterapia e os seus produtos são utilizados em grande parte do mundo.

15 ) A OMS disponibiliza documentos para oferta de serviços e fitoterápicos com qualidade, segurança e eficácia, como: WHO guidelines on good agricultural and collection practices (GACP) for medicinal plants, publicado em 2003; WHO guidelines on good manufacturing practices (GMP) for herbal medicines, publicado em 2007; WHO guidelines for assessing quality of herbal medicines with reference to contaminants and residues, publicado em 2007; WHO monographs on selected medicinal plants, nos seus quatro volumes publicados em 1999 (v.1); 2002 (v.2); 2007 (v.3); e 2009 (v.4). Esses documentos foram incorporados no Brasil para comprovar segurança, eficácia e qualidade dos produtos nas legislações recém atualizadas para fitoterápicos.

16 ) Quanto aos serviços apresentados na série, os mesmos não estão regulamentados como Farmácias Vivas, instituídas pelo Ministério da Saúde por meio da Portaria 886 de 2010. A norma federal para regulamentação destes estabelecimentos ainda está em discussão, por meio da consulta pública 85 de 2010, disponível para sugestões no site da Anvisa. Alguns poucos estados já possuem regulamentação local para Farmácias Vivas, como o Ceará, mas esse serviço modelo não foi abordado na matéria.

17 ) A fitoterapia e os medicamentos fitoterápicos, utilizados de forma regular, seja de forma industrializada ou manipulada, em estabelecimentos autorizados, são uma opção segura e eficaz para a população brasileira, da mesma forma que nos outros países do mundo.

//Anvisa Portal/Anvisa/Inicio/Medicamentos/Publicacao Medicamentos/Esclarecimentos sobre materias sobre plantas medicinais veiculadas na Revista Epoca e no Fantastico Esclarecimentos sobre matérias sobre plantas medicinais veiculadas na Revista Época e no Fantástico





Jabuticaba

21 09 2011

De origem brasileira a jabuticaba inspira muitas receitas de dar água na boca. E além de muito saborosa (tanto em receitas como in natura) é muito nutritiva.

A casca e a polpa contém pectina, uma fibra que age no combate ao coleterol. A pectina também auxilia na redução da velocidade de absorção dos alimentos, à medida que são ingeridos (Atenção Diabéticos!!!É indicada para reduzir as taxas de açúcar no sangue). Auxilia na eliminação de toxinas do organismo e na função biliar.

A jabuticaba é rica em antocianina um antioxidante do grupo dos bioflavonóides que e muito mais potente que a vitamina E e vitamina C, assim combatem radicais livres responsáveis por causar inflamações, intoxicações, infarto, doenças degenerativas, câncer.

A antocianina ainda protege e estimula a repação dos tecidos ricos em colágeno dando mais firmesa e elasticidade a pele (evitando rugas, estrias), as paredes das artérias (prevenindo doenças cardiovasculares). Protegem também as células cerebrais auxiliando na memória e combate a sensibilidade. Dá um gás nas defesas do organismo, mais disposição e resistência física.

Para os diabéticos a antocianina auxilia na estabilização da taxa de açúcar no sangue.

Cada grama de jabuticaba (segundo a UNICAMP) tem 314mg de antocianina, mais que a uva (227mg) e a amora (290mg). Não descarte as cascas pois a antocianina é encontrada principalmente nelas.

Essa frutinha ainda é rica em FERRO que ajuda no combate a anemia; FÓSFORO atua no sistema nervoso melhorando quadros de estresse, formação de energia e sistema imunológico; VITAMINA C que é antioxidante, ajuda na absorção de ferro, previne fadiga crônica, varizes; NIACINA auxilia na prevenção de fraqueza muscular, indigestão, acne, anorexia.

Ela é pouco calórica, aproximadamente 45 calorias por 100g.

PARA CRIANÇAS!!!

Para todos, mas especialmente para elas. Os pais que tem dificuldade de fazer os filhos comerem frutas podem fazer sucos com a jabuticaba. eles ficam com coloração diferentee continuam com sabor e nutrentes.

Pode-se misturar a jabuticaba a qualquer fruta que fica muito gostos.Mas se quiser uma coloração deiferente…

Vermelho: adicione algumas gotas de limão fresco ao suco de jabuticava.

Azulado: bata a polpa e a casca da jabuticaba com abacaxi.

É um pouco complicado encontra jabuticaba para vender (pelo menos aqui em Uberlândia) então uma solução simples para te jabutica sempre é plantar uma jabuticabeira, é possivel encontrar a planta “grande” e com frutos e ainda há aquelas que não crescem muito e podem ficar até na sacada de um apartamento.

FONTE:

Portal da Educação





Alimentação saudável é alimentação sem graça?

20 09 2011

Engana-se quem pensa que uma alimentação saudável deve ser sem sabor, monótona e sem graça. Para a maioria das pessoas, comer é um momento de prazer e, é bom que seja assim, desde que o prazer não esteja relacionando somente a alimentos supérfluos, com alto teor calórico e de gorduras e poucas vitaminas e minerais.

 Para que sua refeição seja saudável e ainda assim saborosa e prazerosa é necessário que seja completa, variada, harmoniosa e equilibrada. Somente assim a refeição terá quantidade adequadas de carboidratos, proteínas, gorduras e principalmente de vitaminas e minerais, que são essenciais para o funcionamento adequado de todos os órgão, assim como prevenção de doenças. O segredo é respeitar as porções recomendadas e experimentar novos ingredientes e temperos. Quanto mais colorido o prato for, mais atrativo e nutritivo será.

 Experimente saladas salgadas com frutas doces, por exemplo, uma salada de alface, rúcula, agrião, tomate, cenoura, pepino e manga, se quiser ousar um pouco mais ainda pode acrescentar morangos, melão, uva. Além de muito saborosa essa mistura ainda fica bastante bonita.

 Os temperos naturais também são uma boa pedida para variar sem precisar usar temperos prontos cheios de sódio e conservantes. Alecrim, hortelã, manjericão, salsinha, cebolinha, alho, cebola, gengibre, limão, aipo e vários outros podem ser usados para dar um sabor especial a seus pratos.

  O ideal é usar a imaginação e não ter medo de errar.

Leia também:

Por um jantar mais leve
Está com calor? Que tal um picolé?!?!
Torta de flocos de milho – Mais Você
Tabule





Hidratação – Entrevista ao programa Papo de Butiquim da TV Vitoriosa

18 09 2011

Nessa sexta-feira dia 17 fui convidada a dar uma entrevista no programa, da Rede Vitoriosa, Papo de Butiquim. O primeiro e o segundo bloco foram baseados em hidratação, clima e temperatura. Além de mim foram convidados também o Professor de Climatologia da UFU, Paulo César Mendes e os cantores sertanejos Paulo Cesar e Juliano.

 

A maior parte do corpo de uma pessoa saudável é água, de 60 a 70%. A água participa das reações metabólicas no nosso organismo, é solvente, transporta gases, alimentos e a maioria das vitaminas, participa da produção de saliva, lágrima, da lubrificação das articulações facilitando os movimentos, é importante no processo digestivo e na produção de suor, mantém as secreções nasais úmidas para chegar ar ao pulmão na umidade adequada.

Nós perdemos bastante líquido durante o dia. Pela pele e pelos pulmões perdemos de 700 a 800ml de água por dia, que é uma perda natural e nem percebemos. E ainda tem a perda pelo suor que é de aproximadamente 100ml nos dias normais e, nos dias mais secos e quentes atinge até 2 litros por dia, quando pratica atividade física perde ainda mais. Por isso é muito importante repor.

Ainda perdemos nas fezes e urina. Se não houver uma hidratação adequada as fezes ficam endurecidas e causam diversos problemas como hemorróidas inflamadas e até o câncer. E a urina amarelada e com odor forte pode significar sobrecarga renal e causar, por exemplo cálculos (pedras).

Quando reduzimos de 4 a 5% da quantidade de água, já temos comprometimento de 20 a 30% da capacidade de trabalho do osso organismo.

Crianças até 6 meses de idade com aleitamento materno exclusivo não precisam tomar água.

Um adulto saudável precisa de cerca de 35ml/Kg.

É bom ter atenção especial com obesos que tem o percentual de gordura muito elevado e por isso o de água é menos, então qualquer perda é significativa. Com idosos que perdem o senso de sede e por isso esquecem de beber líquido e ainda tem uma porcentagem menor de água no corpo (40 a 50%). E com crianças que por terem o metabolismo mais acelerado perdem muito líquido.

Não beba água somente quando sentir sede. Faça o cálculo da quantidade de líquido que voe precisa por dia e coloque em garrafinhas perto de você, assim fica mais fácil de contar e controlar se está ingerindo a quantidade correta.

Crianças até 10 anos – 100ml/Kg

até 18 anos – 40ml/Kg

18 a 55 anos -35ml/Kg

55 a 65 anos – 30ml/Kg

mais que 60 anos – 25ml/Kg

 

O que beber?

Água mineral filtrada ou fervida, água de coco, frutas e sucos de frutas, verduras, isotônicos (estes devem ser ingeridos, preferencialmente por atletas e com orientação de nutricionista, já que não são todas as pessoas que podem ingerir – por exemplo, hipertensos e pacientes renais não podem!!!)

 

ATENÇÃO: Todas essa orientações são para pessoas saudáveis e com peso normal. Se você tem alguma patologia procure um nutricionista para te dar as orientações adequadas para seu caso.