Síndrome dos ovários policísticos – A dieta pode te ajudar

14 10 2011

Ovário PolicísticoOvário normal

 

 

 

 

 

O que é?

Um problema que atinge de 5 a 10% das mulheres, a SOP é caracterizada por hiperandrogenismo, disfunção ovariana e/ou ovários policísticos ao ultrassom.

No ultrassom aparecem muitos folículos ao mesmo tempo na superfície de cada ovário.

O que você sente?

Irregularidade menstrual, podendo ser atrasos ou mesmo a ausência da menstruação.

Dificuldade na ovulação, o que causa dificuldade de engravidar (dificuldade não quer dizer que a mulher não pode engravidar, ok!)

Acne, espinhas, queda de cabelo, pele oleosa e aumento de pesos, sintomas que são chamados de hiperandrogenismo.

Aumento de peso também é comum, mas ainda há dúvidas se é o aumento de peso que causa a anovulação e, portanto, os ovários policísticos, ou se a síndrome causa o aumento de peso. Em alguns casos quando há perda de peso os sinais voltam ao normal.

É preciso tomar cuidado com a resistência insulínica e a síndrome metabólica, há grandes chances de desenvolver esses problemas, que levam a alterações vasculares, diabetes, hipertensão arterial e risco cardiovascular aumentado.

 

A dieta pode te ajudar!!!

A restrição adequada de calorias ajuda na perda de peso.

Uma dieta balanceada com baixo teor de gordura saturada, rica em fibras, alimentos com baixo índice glicêmico e a pratica de atividade física melhora a resistência insulpinica e retorno dos ciclos ovulatórios, mesmo na ausência de perda de peso.

Estudos indicam que as fibras dietéticas (principalmente as solúveis)são muito importantes na modulação hormonal, pois estudos observam que dietas com baixo teor de fibras leva ao aumento das concentrações de estrogênios e androgênios circulantes.

A suplementação de 1,9g de ômega3 por dia é benéfica em mulheres com SOP para modulação hormonal e do perfil lipídico.

 

IMPORTANTE: Essas são somente algumas orientações, procure um nutricionista para cauidar de você e de suas individualidades, ok!

 

REFERÊNCIAS:

Gineco

Nutritotal

Anúncios




Terapia nutricional na AIDS

17 08 2011

A alimentação adequada dos portadores de AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) tem como objetivo evitar a perda de peso, assim como controlar as alterações metabólicas causadas pela doença.

A AIDS está relacionada com a depleção nos linfócitos T auxiliadores CD4+ no sangue periférico. A depleção progressiva de pool de células CD4, em conjunto com outras alterações no sistema imunológico, leva a imunodeficiência. A molécula CD4, apresenta na superfície de linfócitos T auxiliadores (T4), parece funcionar como o principal receptor celular para o HIV, permitindo sua entrada na célula hospedeira, o que explica a depleção de linfócitos T CD4+ na AIDS.

Também chamada de SIDA, ela contém, principalmente, 3 estágios:

> Estágio inicial:

– Contagem de células CD4 > 500 células/mm³

– Sintomatologia: dermatites e linfadenopatia

– Declínio da contagem de CD4 de 50 células/mm³ por ano

> Estágio Intermediário:

– Contagem de células CD4 entre 200 e 500 células/mm³

– Sintomatologia: candidíase oral e vaginal, neuropatia periférica, displasia cervical, herpes zoster e febre

> Estágio final:

– Contagem de células CD4 < 200 células/mm³

– Sintomatologia: infecções oportunistas, doenças neurológicas e tumores

 

TRATAMENTO NUTRICIONAL:

O estado nutricional destes pacientes é comprometido pela redução da ingestão de alimentos em razão da anorexia, vômitos, náuseas diarréia, dispnéia, doenças neurológicas ou alterações na boca e estômago. Com o trato gastrintestinal afetado a absorção de nutrientes é reduzida e, as necessidades aumentadas pela febre e infecções. Doenças oportunistas prejudicam a absorção de lipídeos.

O peso é um dos parâmetros mais importantes já que a perda de até 5% do peso usual aumenta significativamente a morbimortalidade. Deve-se, portanto, evitar desnutrição, imunodeficiência e infecção.

Alguns exames devem ser solicitados, são eles:

– Dosagem de albumina sérica

– Dosagem de pré-albumina

– Proteína ligadora do retinol

– Capacidade ligadora de ferro

– Dosagem de transferrina

(Estes acima para monitoração de proteínas viscerais)

– Glicemia de jejum

– Triglicerídeos

– Colesterol e frações

– Teste de sensibilidade cutânea *

– Contagem total de linfócitos *

(* Devem ser avaliados com cautela em razão da situação imunológica comprometida)

– Examinar também unhas e pele para detectar sinais de deficiências nutricionais.

 

Recomendações:

Os fatores de injúria e atividade utilizados devem ser de 1,25 quando utiliza-se a equação de Harris- Benedict.

RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS DE PROTEÍNAS

PACIENTES SINTOMÁTICOS

PACIENTES ASSINTOMÁTICOS

35 – 40Kcal/Kg de peso/dia

1,5 – 2g de proteína/Kg de peso/dia

 

35Kcal/Kg de peso/dia

2 – 3g de proteína/Kg de peso/dia

25 – 30Kcal/Kg de peso atual

0,8 – 1,25g de proteína/Kg de peso/dia

120:1cal não protéico/g nitrogênio

 

As recomendações de carboidratos e gorduras devem seguir as necessidades normais para idade, porém, se o paciente apresenta diarréia a dieta deve ser hipogordurosa com restrição de lípides de cadeia longa, utilizando-se TCM (Triglicerídeos de cadeia média).

Os pacientes com AIDS tem aumento de triglicerídeos e redução de HDL-c. Estudos utilizando ômega-3 demonstram benefícios na diminuição da trigliceridemia e melhora da massa corporal magra.

Deve-se escolher a via oral para atingir as necessidades energéticas diárias. Algumas mudanças, como racionamento das refeições, mudanças da temperatura do alimento podem auxiliar as dificuldades encontradas nas infecções. Há também alguns suplementos disponíveis no mercado.

Se o trato gastrintestinal estiver funcionando e a ingestão oral não for suficiente deve-se utilizar terapia enteral precoce e agressiva.

Se a ingestão e absorção estiver comprometida por diarréia ou outro sintoma gastrintestinal indica-se fórmulas com peptídeos e TCM.

A combinação de fórmula com nutrientes imunomoduladores como arginina, glutamina, vitaminas e ômega #, tem demonstrado melhora na resposta imunológica e diminuição da perda de massa magra nos pacientes com AIDS.

As necessidades de algumas vitaminas e minerais também está alterada e merece atenção especial, são algumas delas:

VITAMINAS E MINERAIS

AIDS

Vitamina A

2 – 4 vezes RDA

Ferro

Moderação

Vitamina E

15 – 800 UI

Zinco

1,3 vezes RDA

Vitamina C

1000mg

Tiamina

5 vezes a RDA

Riboflavina

5 vezes a RDA

Niacina

Aumentadas

Vitamina B6

2 vezes a RDA

 

Aspectos práticos:

– A ênfase na higienização oral e de mãos é indispensável para evitar as infecções oportunistas.

– A água deve ser mineral ou filtrada, se não for possível, deve ser fervida e clorada.

– Legumes e verduras devem ser lavados em água corrente e depois deixados de molho em solução clorada por cerca de 15min.

– Carnes cruas ou mal passadas e peixes crus devem ser evitados.

 

FONTE:

Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia – Chemin e Mura





Como controlar o colesterol?

8 08 2011

8 de agosto – Dia Nacional do Controle do Colesterol.

Primeiro é necessário saber o que é e quais as funções dele.

O colesterol está presente nos organismos animais (por isso não se engane, nenhum alimento vegetal contém colesterol, nem mesmo os óleos – NENHUM) e é essencial para a vida já que ele az parte da estrutura das membranas celulares, faz parte da síntese de hormônios, ácido biliar e vitamina D. Quando não ingerido em quantidades adequadas ele é sintetizado pelo fígado.

As moléculas de colesterol são transportadas [“embrulhados”] em nosso organismo pelas lipoproteínas. Que são:

Quilomicrons: transportam o colesterol para o músculo para produção de energia e para o tecido adiposo (“culote”, “barriguinha”) para estocagem e para o seios para a produção de leite.

VLDL (Very Low Density Lipoproteins): transportam o triglicerídeos do fígado para os músculos e tecido adiposo e na medida que perdem triglicerídeos podem coletar mais colesterol e tornam-se LDL

LDL (Low Density Lipoprotein): carregam cerca de 70% do colesterol do corpo. São pequenas e densas o suficiente para atravessar as vasos sanguíneos e ligarem-se às membranas das células dos tecidos.

HDL (High Density Lipoproteins): responável por carregar o colesterol em excesso de volta para o fígado.

 

A LDL e a HDL são as mais conhecidas e são também chamadas de colesterol mal e colesterol bom, respectivamente, mas vale lembrar que colesterol só existe um, o que muda é a forma como ele é transportado. Níveis elevados de LDL está relacionado com aterosclerose e doenças do coração enquanto a HDL está relacionada com proteção contra essas doenças.

Deixar os níveis de colesterol elevados é muito fácil basta ingerir muita carne vermelha, bacon, torresmo, leites muito gordurosos, manteiga…

E manter nos níveis normais? É difícil?

NÃO, não mesmo..

Há muitas formas de controlar o colesterol, veja algumas abaixo:

– Optar por leite e iogurtes desnatados, evitar queijos gordos e preferir queijos magros que contém menor quantidade de gordura saturada e colesterol

– Estudos indicam que as fibras reduzem significativamente os níveis de colesterol, então consuma frutas, verduras e folhas, além de cereais integrais como pão integral, arroz integral, macarrão integral…

– Algumas pesquisas indicam que o consumo regular de oleaginosas (castanha do para, castanha de caju, amêndoas, nozes) aumentam os níveis de HDL e reduzem o colesterol.

– Compostos encontrados na uva e na soja também ajudam a reduzir os níveis de colesterol.

– Consuma 2 colheres de sopa de azeite por dia (nas saladas, por exemplo).

– Pratique atividade física ela ajuda a aumentar os níveis de HDL.

 

FONTE:

 Revista Eletrônica do Departamento de Química – UFSC

http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/artigos/colesterol.html

Prof Dorival

http://www.profdorival.com.br/page4/files/colesterol.pdf

Colesterol, amigo ou inimigo?

http://www.melnex.net/colesterol.pdf





Dieta do 1,2,3

4 03 2011

Simples, super fácil de fazer e eficaz!!!

Começa assim…

Independente do horário que você acordar faça uma refeição (é importante lembrar que dormir demais não é tão bom, além do que vc perde parte do seu dia…gaste seu tempo produzindo, durm somente o necessário, mas tb é claro que se você trabalha durante a noite você tem que dormir durante o dia e enfim..cada um deve adaptar a dieta ao seu cotidiano).

Fez a primeira refeição conte até 3, por exemplo: café da manhã as 6:00 (1,2,3) a minha próxima refeição deverá acontecer as 9:00, depois 12:00, 15:00, 18:00, 21:00….

Assim você identificará quando está com fome e saberá distinguir “fome” de “vontade de comer”.

É claro que o alimento deve ser devidamente escolhido, não dá pra comer arroz com feijão nos 6 horário…

Mas isso é fácil…são 6 refeições, sendo 3 principais e 3 lanches.

1ª:  Café da manha: Pão ou rosca ou bolo ou pão de queijo + leite ou iogurte ou queijo + fruta

2ª: Lanche I: Fruta ou suco de fruta ou barra de cereal

3ª: Almoço: Arroz ou macarrão ou mandioca ou batata + feijão ou lentilha ou ervilha + carne + salada crua + salada cozida

4ª: Lanche II: Pão ou rosca ou bolo + suco de fruta ou fruta

5ª: Jantar: Arroz ou macarrão ou mandioca ou batata + feijão ou lentilha ou ervilha + carne + salada crua + salada cozida (em menor quantidade deo que o almoço)

6ª: Ceia: Leite ou iogurte ou queijo

 

É só tomar cuidado com as quantidades de alimentos se com açúcar ou achocolatado.

 

Antes das 3 horas não é fome, é vontade de comer. Nesses momentos beba um bom copo de água. Muitas vezes essa vontade de comer pode ser sede, sabia!?!? Se não acabar com a vontade, controle-se…

Saiba a quantidade de água que você precisa(clique aqui)

Essa dieta realmente faz efeito e é uma maneira de aderir a hábitos saudáveis.

 

Creditos a Ana Cristina Tomaz Araújo, nutricionista, professora e exemplo de força, determinação e sucesso.





Professor de nutrição perde 13 quilos comendo “besteira”

12 11 2010

Segundo o professor de nutrição Mark Haub de 41 anos da Universidade Estadual de Kansas (EUA), ele fez uma dieta de 1800Kcal a base de bolinhos, bolachas recheadas e salgadinhos por 10 semanas. O resultado disso foram 13Kg a menos e redução dos níveis de colesterol.

O objetivo desse professor é mostrar que o importante são as calorias e não o valor nutricional e que falta definição para o que é dieta saudável.

 

Bom, será que o objetivo das pessoas deve ser somente a redução de peso? E a saúde?

Somente reduzir as calorias não é a solução. E as vitaminas e minerais, onde ficam?!?! É importante que todos saibam que as vitaminas e minerais são essenciais para nosso organismo, muitas pessoas não percebem isso, mas a falta de vitamina A provoca cegueira noturna, a vitamina E previne o envelhecimento precoce. Cabelos sem brilho, seco, fino, faceis de arrancar ~são sinais de deficiencia protéica (deficiência de proteína de alta qualidade). Olhos vermenhos é sinal de deficiência de vitamina B2, E e zinco. Se sua pele está com manchas, seborréia, pontinhos vermelhos significa deficiência de vitamina A, C, K, niacina,ácido fólico, riboflavina, ferro, proteínas e calorias. Se você tem inflamação na lingua, redução do paladar, hemorragias gengivais e perda do esmalte dos dentes você provavelmente tem deficiência de niacina, riboflavina, piridoxina, ácido fólico, cianocobalamina, zinco, ferro e fluor. Unhas quebradiças e rugosas representam deficiência de ferro e cálcio. E ainda tem as alterações psicomotoras e demência que são causadas pelas deficiência de proteína, calorias, tiamina, vitamina B12, cálcio,magnésio e vitamina E.

Assustado!?!?! Isso não é nem uma parte do que as vitaminas e minerais representam em nosso organismo. Por isso são sim, muito importantes.

Ele pode mesmo ter emagrecido, mas por ter reduzido as calorias e não por ter tido uma dieta saudável. Quem sabe a quantidade de calorias ele comia? Eu não. qualquer pessoa que reduza as calorias irá emagrecer. E quanto ao colesterol. Reduziu? Sim, mas quanto? Quanto era antes dessa dieta maluca? Não sei. Será que ele realmente se sente bem? Na entrevista ele parecia bem abatido. E a quantidade de gordura que ele tem no corpo é realmente a ideal? Será que ali tem musculos? Ou só gordura? Talvez ele seja o que nós chamamos de falso magro, esteticamente “agradável”, mas se formos avaliar mais a fundo não passa de um “gordinho” pouco saudável.

Como estudante de nutrição devo dizer a você. Nunca tente fazer uma dieta assim, você por até perder peso, mas junto com ele vai também a sua saúde. Procure um nutricionista e faça uma dieta de verdade. Não precisa ficar preso a cardápio. Uma reeducação alimentar te ajudará e muito a perder peso e ganha saúde. Meus pacientes se sentem muito melhor depois que começam a fazer a dieta, perdem peso, se sentem mais “leves”, a pele, o cabelo, as unhas muito melhores, a pessoa fica com “cara de VIDA”.

  

Assista o vídeo em:

http://edition.cnn.com/video/#/video/bestoftv/2010/11/09/exp.nr.twinkies.professor.cnn?iref=videosearch





Alimentação antes, durante e após o exercício

20 07 2010

Alimentação adequada propicia um melhor rendimento durante o treino e uma recuperação mais rápida e eficaz. Por isso fique atento às dicas a seguir.

Antes o exercício

É sempre importante se alimentar antes de treinos, já que grande quantidade de energia será gasta durante o mesmo. Principalmente aqueles que treinam pela manhã, pois passaram um período muito longo de jejum durante o sono e precisam repor a energia.

A refeição antes do exercíco deve ser realizada 1 a 3 horas antes da prática esportiva e conter alimentos ricos em carboidarto (pão, banana, bolo, aveia, lentilha, maçã, barras de cereais, entre outros) porque eles são digeridos mais facilente o que reduz a sensação de desconforto durante a atividade além de ser fonte mais rápida de energia. Dê preferência aos carboidratos integrais, que contém maior quantidade de fibras e por isso vão gerar energia mas lentamente, conseguindo suprir a necessidades por mais tempo . Deve-se moderar os alimentos ricos em proteína (carnes, por exemplo) e evitar as gorduras (frituras…) já que ficaram longo tempo no estomago, pois demoram para serem digeridos, podendo assim causar desconforto durante ó exercício.

É importante também, principalmente antes de competições, que o atleta consuma alimentos familiares a fim de evitar qualquer imprevisto durante a prova.

Não exagerar no volume é outra dica muito importante.

Durante o exercício

Durante o treino deve-se ingerir carboidratos, para aumentar o rendimento e retardar o cansaço, como não é possivel parar o treino ou competição para comer, por exemplo, uma barra de cerais  uma boa dica seriam os suplementos a base de carboidrato em gel, por exemplo o “Carb up – gel”, já que são mais faceis de serem utilizados.

Após o exercício

O objetivo da refeição pós-exercício é oferecer uma quantidade de energia adequada, já que houve um gasto elevado de energia, além de recuperar os danos causados nos músculos (princicalmente quem deseja fazer hipertrofia, ou seja, ficar “malhado”, “trincado”). Para isso contamos mais uma vez com os carboidartos que são ótima fonte de energia e agora com a proteína (carne, leite entre outros).

Para quem quer emagrecer é importante ficar pelo menos 40 minutos de jejum.

E para quem quer ficar “malhado” a proteina pós exercício é essencial.

Gorduras devem ser evitadas antes, durante e após o exercício, mas lembre-se que elas também são importantes para seu organismo e sem elas  não há benefícios na performance.

Por fim, a hidratação é importantíssima em todos os momentos. É a água que faz transporte de nutrientes no organismo, controla a temperatura corporal, lubrifica as articulações e propicia forma ao corpo, além de muitas outras funções.

Uma dica prática é para cada quilo perdido durante o exercício deve-se ingerir ao longo do dia 1 litro a mais de água. Pese antes e depois do exercício e saberá quanto de líquido você perdeu, essa quantidade deve ser reposta. Mas lembre-se 1Kg a menos é igual a 1 litro de água a mais do que já deveria ser tomado (em média 2 litros/dia).

Essas são apenas algumas dicas, para calcular uma dieta adequada é necessário avaliar o horário, tipo, intensidade, duração, frequência do exercício, avaliar também sua composição coporal e muito mais então, para ter um bom rendimento e treinar de maneira saudável o acompanhamento de nutrcionista e educador físico é imprescíndível.