Óleo de coco – Usar ou não Usar?

16 04 2012

Imagem

Óleo de Coco, muito falado pela mídia. Mas será que funciona? Como ele age no organismo? E a gordura saturada presente nele? Porque tem tanta gente falando mal dele?

Primeiro quero ressaltar que não há evidências científicas suficientes para comprovar os benefícios ou pra derrubar o óleo de coco. Mas existem alguns estudos que explicam como funciona. O ideal é tomar muito cuidado, adequar a alimentação e praticar atividade física. O óleo de coco vem ajudar e não fazer o trabalho todo sozinho, ok!

O óleo de coco é um produto de origem vegetal, extraído da polpa do coco fresco maduro. Contem cerca de 90% de gordura saturada.

Composição de ácidos graxos
• Ácido capróico C-6 = 0,0 – 0,8
• Ácido caprílico C-8 = 5,0 – 9,0
• Ácido cáprico C-10 = 6,0 – 10,0
• Ácido láurico C-12 = 44,0 – 52,0
• Ácido mirístico C-14 = 13,0 – 19,0
• Ácido palmítico C-16 = 8,0 – 11,0
• Ácido palmitoleico C-16:1 = 0,0 – 1,0
• Ácido esteárico C-18 = 1,0 – 3,0
• Ácido oleico C-18:1 = 5,0 – 8,0
• Ácido linoleico C-18:2 = Traços – 2,5
• Ácido araquídico C-20 = 0,0 – 0,4

Um estudo realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) comprovou que o óleo de coco leva ao aumento de HDL (lipoproteína que impede que a LDL forme placas de gorduras nas artérias que dão origem à aterosclerose, diminuindo ou obstruindo o fluxo sanguíneo, provocando infartos ou derrames). Cerca de 50% da gordura do como é composta de ácido láurico que dentro do organismo se transforma em monolaurina, um monoglicídeo de ação antibacteriana, antiviral e antiprotozoária.

Além disso o óleo láurico e o monolauril são de rápida digestão, por isso não ficam estocados no organismo, mas são usados como fonte de energia, evitando assim que se transforme em tecido adiposo (mas vai com calma, se tomar mais do que o recomendado para você pode fazer mal e até engordar). Eles ainda regulam o funcionamento da tireóide, acelerando o metabolismo, o que facilita o emagrecimento e tem propriedades anti-inflamatórias, o que é muito benéfico para quem está acima do peso, já que são decorrentes de desequilíbrios inflamatórios.

 

Enfim, quais são os objetivos do óleo de coco?

AUXILIAR na redução dos níveis de LDL, colesterol e triglicérides e aumento de HDL

AUXILIAR no aumento dos níveis de energia e redução de gordura abdominal

AUXILIAR prevenção da obesidade

 

Muitos profissionais ainda não confiam no óleo de coco pela falta de estudos científicos que comprovem seus resultados.

Acredito que se usado de maneira correta, com acompanhamento de NUTRICIONISTA pode funcionar, o que não pode é comprar e seguir orientações de qualquer pessoa, do vendedor da loja (que quer muito te vender o produto), das revistas e dos programas de televisão (que muitas vezes são patrocinados pelos fabricantes).





Quais alimentos ajudam a reduzir os níveis de colesterol?

2 09 2011

Muitas pessoas pensam que para reduzir os níveis de colesterol do sangue é necessário somente fazer um dieta com redução da quantidade de gordura saturada, mas um estudo publicado na revista científica JAMA (The Journal of The American Medical Association).

Os autores investigaram a capacidade de alguns alimentos de reduzir os níveis de colesterol e comparou com uma dieta baseada somente na reeducação alimentar e redução da gordura saturada.

O grupo que ingeriu fibras solúveis*, proteínas de soja, fitoesterois** e nozes, diminuiu a quantidade de gordura saturada da dieta e recebeu sete consultas nutricionais por 6 meses reduziu 13,8% os níveis de LDL-c.

O grupo que fibras solúveis, proteínas de soja, fitoesterois e nozes, diminuiu a quantidade de gordura saturada da dieta e recebeu somente duas consultas nutricionais por 6 meses reduziu 13,1% os níveis de LDL-c.

E o grupo que somente reduziu a quantidade de gordura saturada e recebeu duas consultas nutricionais por 6 meses reduziu 3% os níveis de LDL-c.

FONTE: Nutritotal

*Fibras solúveis: encontradas principalmente em frutas, verduras e leguminosas.

**Fitoesterois: são encontrados principalmente nos óleos vegetais, frutas, legumes e verduras, porém as melhor fonte são os alimentos enriquecidos com eles que são margarinas, leite e iogurtes.





Queijos, qual a melhor opção?

8 08 2011

No DIA NACIONAL DE CONTROLE DO COLESTEROL eu não podeiria deixar de falar do queijo. Qual é a melhor opção quando tratamos de teor de gordura?

Queijo pode ser feito de leite de vaca, cabra, ovelha, búfala, soja produzido de forma artesanal ou industrial, nacional ou importado é bem quisto por muitos e, rico em proteínas, lipídeos, cálcio, fósforo e algumas vitaminas, principalmente A, B2, B9, B12 e D.

O Consumo de queijo cresceu muito nos últimos anos e continua crescendo, consumimos cerca de 4Kg por ano, mas ainda estamos bem atrás dos europeus que consumem 25Kg por ano. É importantíssimo que você saiba o teor de gorduras dos queijos, já que a alta ingestão de gorduras saturadas e colesterol está relacionada a doenças do coração, entre elas a aterosclerose.

O Inmetro divulgou uma análise sobre a quantidade de gordura dos queijos e tomou por base uma dieta de 2000Kcal, sendo assim é recomendável a ingestão de até 55g de lipídeos por dia destes menos de 22g de saturados, até 300mg de colesterol e  no máximo 2g de gorduras trans por dia.

– Os queijos PARMESÃO e MINAS PADRÃO, foram os que apresentaram maior teor de gorduras, enquanto o FRESCAL LIGHT  e  COTTAGE  os menos gordurosos.

– O FRESCAL LIGHT apresenta 88% a menos de gordura que o MINAS PADRÃO, uma diferença significativa.

– A MUÇARELA LIGHT contém cerca de 35% a menos de gordura que a padrão.

Dica: Optar por queijos light é uma maneira de diminuir drasticamente a quantidade de gordura da refeição, mas se não aprovar o sabor basta ingerir pequenas quantidades.

– Quando se trata de colesterol o queijo PARMESÃO foi novamente o campeão, seguido da muçarela e do queijo prato lanche. 3 colheres de sopa de queijo PARMESÃO corresponde a 20% da ingestão máxima diária, essa é a quantidade colocada em uma sopa de queijo ou uma macarronada, por exemplo. FIQUE ATENTO!!!

– REQUEIJÃO LIGHT, TRADICIONAL e COTTAGE apresentam menor teor de colesterol.

– 100g de queijo PARMESÃO corresponde a 88% da quantidade de gordura saturada que podemos ingerir por dia.

– 100g de queijo MINAS PADRÃO 80% da ingestão de gordura saturada.

– Um sanduíche com 3 fatias deste queijo atinge 73% da recomendação de gordura saturada.           

– O mesmo sanduíche na versão light (QUEIJO MINAS LIGHT) ica com 43% do recomendado.

Obs.: 1 fatia de queijo contém 30g.

Fato: Quando ingerimos gordura saturada ela se transforma em três vezes mais colesterol do que se ingerimos o próprio colesterol.

– 100g de MUÇARELA contém 78% de gordura saturada e 33% de colesterol, enquanto a LIGHT 51% e 23%

Fato: As versões light são algumas vezes mais caras que as versões normais, mas vale considerar a relação custo/benefício. A diferença pode não ser tão alta assim como é o caso do queijo MINAS com R$3,60 e da MUÇARELA com R$0,02.

– O queijo COLAHO também chama atenção, apenas 2 palitos (50g) tem 73% da recomendação de gordura saturada por dia.

– O FRESCAL LIGHT, é a melhor escolha novamente, já que 3 fatias (100g) tem 9,3% de gordura saturada e 18% de colesterol, bem menos que a versão TRADICIONAL que apresenta 32% e 13,8%. O TRADICIONAL contem menor quantidade de colesterol, mas se levarmos em consideração que a gordura saturada é muito mais prejudicial a saúde vemos que o LIGHT é mais saudável.

– O PARMESÃO, o MINAS PADRÃO e a MUÇARELA apresentam maior teor de gordura monoinsaturada que o MINAS FRESCAL LIGHT, REQUEIJÃO TRADICIONAL E LIGHT.

Fato: A gordura monoinsaturada é benéfica a saúde aumentando o HDL (popularmente chamada de colesterol bom) diminuindo assim o risco de problemas cardiovasculares, hipertensão, aterosclerose, hipercolesterolemia…

* Vale lembrar que o benefício de conter mais gordura mono que os queijos mais magros não supera o malefício do exagero de gordura saturada e colesterol.

– MUÇARELA, QUEIJO MANTEIGA, MINAS PADRÃO E REQUEIJÃO, apresentam maior quantidade de ômega 3, uma gordura muito boa que atua no cérebro melhorando a concentração, a memória, previne câncer, melhora o perfil lipídico e muito mais.

– Comparando o teor de gordura saturada com o teor de ômega 3 a melhor opção é a RICOTA que apresentou menor quantidade de gordura saturada e uma boa quantidade de ômega 3.

– A RICOTA, o MINAS PADRÃO LIGHT são também as melhores opções quando equilibramos ômega 6 e gordura saturada.

– 100g de COTTAGE tem 58% mais gordura saturada e 68% mais gordura trans do que o queijo MINAS FRESCAL LGHT. Mas mesmo assim é uma boa opção como queijo magro.

– O REQUEIJÃO LIGHT possui 65% menos gordura saturada que a versão TRADICIONAL, e a diferença de preço encontrada é de R$0,69.

– O REQUEIJÃO ADICIONADO tem 185% da recomendação de gordura trans. Uma colher de sopa de REQUEIJÃO ADICIONADO terá 37% de gordura trans na versão original e 14% na versão light.

Dica: Opte pelo REQUEIJÃO ORIGINAL, já que o ADICIONADO possui uma quantidade de gordura trans muito alta e a ingestão desse tipo de gordura aumenta o risco de doenças do coração.

POSIÇÃO DA NUTRICIONISTA:

Não existe nada proibido o ideal é ingerir com moderação. E é claro que a melhor opção são os queijos mais magros (minas light, cottage, frescal, requeijão light, muçarela light, ricota…) que apresentam menor teor de gorduras “ruins” e por isso oferece menor risco de doenças cardíacas. Mas isso não quer dizer que você não pode comer parmesão, muçarela tradicional ou minas padrão, apenas que é necessário controlar a quantidade.

 

Por Nutr. Juliana Nascimento de Oliveira

 

FONTE:

INMETRO

LEIA TAMBÉM

Como controlar o colesterol?

Descubra os beneícios da castanha

Refrigerante engorda?

Macarrão instantâneo: a praticidade vale a pena?

Margarina, Maionese ou Manteiga? Qual escolher?

 





Como controlar o colesterol?

8 08 2011

8 de agosto – Dia Nacional do Controle do Colesterol.

Primeiro é necessário saber o que é e quais as funções dele.

O colesterol está presente nos organismos animais (por isso não se engane, nenhum alimento vegetal contém colesterol, nem mesmo os óleos – NENHUM) e é essencial para a vida já que ele az parte da estrutura das membranas celulares, faz parte da síntese de hormônios, ácido biliar e vitamina D. Quando não ingerido em quantidades adequadas ele é sintetizado pelo fígado.

As moléculas de colesterol são transportadas [“embrulhados”] em nosso organismo pelas lipoproteínas. Que são:

Quilomicrons: transportam o colesterol para o músculo para produção de energia e para o tecido adiposo (“culote”, “barriguinha”) para estocagem e para o seios para a produção de leite.

VLDL (Very Low Density Lipoproteins): transportam o triglicerídeos do fígado para os músculos e tecido adiposo e na medida que perdem triglicerídeos podem coletar mais colesterol e tornam-se LDL

LDL (Low Density Lipoprotein): carregam cerca de 70% do colesterol do corpo. São pequenas e densas o suficiente para atravessar as vasos sanguíneos e ligarem-se às membranas das células dos tecidos.

HDL (High Density Lipoproteins): responável por carregar o colesterol em excesso de volta para o fígado.

 

A LDL e a HDL são as mais conhecidas e são também chamadas de colesterol mal e colesterol bom, respectivamente, mas vale lembrar que colesterol só existe um, o que muda é a forma como ele é transportado. Níveis elevados de LDL está relacionado com aterosclerose e doenças do coração enquanto a HDL está relacionada com proteção contra essas doenças.

Deixar os níveis de colesterol elevados é muito fácil basta ingerir muita carne vermelha, bacon, torresmo, leites muito gordurosos, manteiga…

E manter nos níveis normais? É difícil?

NÃO, não mesmo..

Há muitas formas de controlar o colesterol, veja algumas abaixo:

– Optar por leite e iogurtes desnatados, evitar queijos gordos e preferir queijos magros que contém menor quantidade de gordura saturada e colesterol

– Estudos indicam que as fibras reduzem significativamente os níveis de colesterol, então consuma frutas, verduras e folhas, além de cereais integrais como pão integral, arroz integral, macarrão integral…

– Algumas pesquisas indicam que o consumo regular de oleaginosas (castanha do para, castanha de caju, amêndoas, nozes) aumentam os níveis de HDL e reduzem o colesterol.

– Compostos encontrados na uva e na soja também ajudam a reduzir os níveis de colesterol.

– Consuma 2 colheres de sopa de azeite por dia (nas saladas, por exemplo).

– Pratique atividade física ela ajuda a aumentar os níveis de HDL.

 

FONTE:

 Revista Eletrônica do Departamento de Química – UFSC

http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/artigos/colesterol.html

Prof Dorival

http://www.profdorival.com.br/page4/files/colesterol.pdf

Colesterol, amigo ou inimigo?

http://www.melnex.net/colesterol.pdf