Frozen yogurt ou sorvete? Qual a melhor opção?

25 02 2011

O calor está grande e para nos refrescar temos como opção frozen yogurt (sorvete de iogurte) e sorvete…Qual a melhor opção? Qual posso comer sem culpa? Qual tem mais calorias? Qual engorda mais? Qual tem mais benefícios?

Frozen ou sorvete?

Se formos pensar no sabor é mais complicado ainda responder a essa perguntas, mas e quanto as informações nutricionais, qual é mais vantajoso?

Quando comparamos calorias e quantidade de gorduras ficamos com o frozen já que algumas opções tem quase metade das calorias de um sorvete de creme e dependendo da forma como é preparado a quantidade de gorduras é zero e quando tem gorduras possui cerca de 70% menos que o sorvete. Quando comparamos a quantidade de sódio também escolhemos o frozen já que o sorvete tem mais que o dobro desse nutriente.

Informação nutricional

Quantidade por porção/100g

SORVETE (creme)

FROZEN YOGURT (natural)

Valor calórico 170Kcal 88Kcal
Carboidratos 26g 21g
Proteínas 2,8g 2,1g
Gorduras totais 6g 0g
Gorduras saturadas 5,3g 0g
Gorduras trans 0g 0g
Fibra alimentar 0g 0,8g
Sódio 60mg 24mg

 

Mas será que é só isso que devemos levar em consideração?

 

O Frozen Yogurt é uma sobremesa tipo sorvete preparada a base de leite fermentado. Segundo a ANVISA ele é considerado um gelado comestível, assim como os picolés, por exemplo. Mas a receita é secreta o que dificulta a conclusão real das informações nutricionais deste produto, assim como qual a quantidade de iogurte utilizada na preparação.

 

Mas enquanto essas questões não são reveladas eu dou minha opnião com base nas informações (confesso que um pouco contraditórioas) que consegui obter sobre o produto.

– Se ele realmente é feito de iogurte, essa é a grande vantagem, pois contém microorganismos que colonizaram beneficamente a flora intestinal, melhorando quadros de diarréia, obstipação… E dependendo da quantidade de microorganismos encontrada até melhora o sistema imunológico e previne algumas doenças. Apesar de que durante o processo de fabricação o iogurte é desidratado e assim pode perder parte desses microoganismos.

– A quantidade de calorias é menor que a de um sorvete de creme normal, mas se comparada com um sorvete de creme light a diferença não é tão significativa. O sorevete tem em média 126 calorias contra 88 do frozen, 38 calorias a menos que podem ser recuperadas facilmente pelos complementos adicionados ao frozen, por exemplo, 1 jujuba tem 20 calorias, ou seja se você colocar mais de 2 jujubinhas inofencivas em seu frozen as calorias já ultrapassam a do sorevete de creme light.

Então, fique atento à cobertura que você utilizará, ela é agrande vilã da história. Dependendo da cobertura que você escolher, sua sobremesa refrescante passa de 88 calorias para mais de 500.

– Outra vanteagem é que é natural e rico em cálcio. Mas, hoje, o sorvete já é peparado com maior quantidade de leite e alguns também apresentam quantidade significativa de cálcio.

– Fique atento ainda a porção que vai comprar. O cálculo das informações nutricionais é feito baseado em 100g de produto e a menor porção vendida contém 120g.

Qual devo escolher, então?!?!?

Com moderação você pode tudo!!!

Constumo dizer aos meus pacientes que se seguirem corretamente a dieta e tiverem uma alimentação balanceada podem cometer alguns “pecadinhos”. O importante é não ingerir todos os dias e comprar uma porção menor, nada de escolher o maior pote e colocar muita cobertura, ok!

O sorvete não é proibido, e o frozen não é o “mocinho”. Varie, crie, invente coberturas diferentes e mais saudáveis, opte por frutas para as coberturas, por exemplo.

 

Fontes:

UFRGS

Pão de açúcar:

Folha de são Paulo  

Anúncios




Alimentação muda as medidas dos brasileiros nos ultimos anos

24 02 2011

Fui convidada para dar palestras para adolescentes do 9º ano em uma escola pública na periferia de Uberlândia, o tema é mudaça das medidas dos brasileiros nos ultimos anos, a autura chegou até a ser comparada com a da população de países ricos.

A matéria estava em um livro de matemática e falava sobre uma reportagem da revista Veja de 1996. Como eu não podia chegar na sala da aula e comentar sobre uma matéria de 1996 pesquisei no site do IBGE e pude mostrar para os alunos que as medidas realmente mudaram, mas a preocupação hoje é outra. E é sobre isso que quero escrever pra vocês.

A preocupação anterio era defict de peso e altura que atingia a maior parte da população principalmente pela baixa renda. Esse fato ainda é presente no Norte e Nordeste e deve receber atenção especial. Mas a maior preocupação hoje é outra. A renda da população aumentou, o trabalho e o estresse também e junto com isso a falta de tempo e de vontade de preparar uma alimentação adequada e saudável, o que fez com que a escolha por alimentos práticos, rápidos e “saborosos” seja feita.

Acontece que esses alimentos práticos, rápidos e “saborosos”, que chamamos de fast food, na maioria das vezes é rico em conservantes, estabilizamtes, flavorizantes e todos esses “antes” fazem muito mal a saúde. Aliado a alimentação inadequada está a falta de exercícios físicos que agrava ainda mais a situação.

 

Além disso tem a questão do status na escola. Afinal qual representa maior poder levar de lanche um pacote de salgadinhos e uma lata de refrigerante ou levar uma maçã???? A resposta dos alunos foi unânime. Ainda tem o preconceito em relação a homens comerem frutas, beberem suco que apesar de horrível, existe. Não é a toa que homens morrem mais cedo, são mais doentes, mais obesos…..

 

Tudo isso contribui para o aumento de infartos, diabetes, hipertensão e até câncer em jovens adultos.

 

Achei a iniciativa da professora em convidar uma nutricionista para conversar sobre esse tema com os alunos muito importante, pois percebi que eles tem várias dúvidas simples em relação a alimentação que se discutidas e explicadas corretamente farão a maior diferença na saúde desses adolescentes.

Os alunos fizeram várias perguntas e interagiram muito. Por isso quero resaltar a importância de conversas como a que eu tive com esses alunos e encorajar nutricionistas fazerem trabalhos como esses.

Fonte:

VEJA

Excesso de peso atinge 38,8 milhões de brasileiros adultos

Em 30 anos, menos crianças desnutridas e mais adolescentes acima do peso

POF 2008-2009: desnutrição cai e peso das crianças brasileiras ultrapassa padrão internacional





Torta de flocos de milho – Mais Você

22 02 2011

Na manhã de hoje Ana Maria Braga preparou em seu programa uma torta de flocos de milho que achei bastante interessante. Contém vários nutrientes essenciais para o organismo e realmente é bastante saudável.

Uma opção para conservar melhor é deixar para colocar as frutas somente na hora de servir poir elas podem ficar com sabor desagradável depois de muito tempo picadas e podem ainda perder parte de seus nutrientes.

Outra dica é usar as futas da época que além de mais baratas são mais nutritivas.

Segue abaixo a receita:

Torta de flocos de milho

Ingredientes

– 4 colheres (sopa) de margarina
– 3 gemas peneiradas
– 1/2 xícara (chá) de leite de coco
– 1 caixa de flocos de milho triturados (300 g)
– 1 colher (sobremesa rasa) de fermento em pó
– 3 claras batidas em neve
– 400 g de frutas picadas (morangos, kiwi, manga)

CALDA DE BRILHO:

– 1 xícara (chá) de suco de laranja
– 1 colher (sobremesa rasa) de amido de milho
– 2 colheres (sopa) de mel

Modo de Preparo

1 – Numa batedeira coloque 4 colheres (sopa) de margarina e 3 gemas e bata por 2 minutos. Ainda com a batedeira ligada adicione aos poucos 1/2 xícara (chá) de leite de coco. Desligue a batedeira e acrescente 1 caixa de flocos de milho triturados (300g) e 1 colher (sobremesa rasa) de fermento em pó e misture. Junte 3 claras batidas em neve e incorpore delicadamente.

2 – Numa fôrma redonda de fundo falso (20 cm de diâmetro) untada e enfarinhada coloque a massa (feita acima) e leve ao forno médio pré-aquecido a 200 graus por +/- 30 minutos ou até que a superfície da massa esteja dourada. Retire do forno e deixe esfriar.

3 – Cubra a massa da torta com 400 g de frutas picadas, regue com uma calda de brilho fria e leve à geladeira por +/- 2 horas. Desenforme e sirva em seguida.

CALDA DE BRILHO:

Coloque numa panela 1 xícara (chá) de suco de laranja, 1 colher (sobremesa rasa) de amido de milho e 2 colheres (sopa) de mel e leve ao fogo médio. Deixe fervendo por 2 minutos, retire do fogo e deixe esfriar.

Ainda não preparei a recita, mas pretendo comprar os ingrediente hoje a noite a assim que estiver pronta conto pra vocês se ficou boa de verdade.





O fim do sofrimento dos diabéticos…

15 02 2011

Pelo menos em partes….

A vida do portador de diabetes já não é fácil e ainda há alguns profissionais da saúde que pioram a situação restringindo a alimentação a quase nada.

Eu venho para contar algo que foi estabelecido desde 1980 pelas as Associações Americana e Britânica de Diabetes. Isso mesmo, a mais de 30 anos e ainda tem alguns profissionais que não aderiram a este tratamento muito mais simples e eficaz já que o paciente não precisa limitar seu consumo e pode ingerir sem culpas doses certas de carboidratos, isso inclui doces e açúcar.

Mas isso não deve ser uma desculpa para a ingestão exagerada de doces, açúcares, gorduras e afins. Até porque nem as pessoas saudáveis podem fazer isso.

Segundo o Manual Oficial de Contagem de Carboidratos para Profissionais da Saúde do Departamento de Nutrição da Sociedade Brasileira de Diabetes o diabético pode consumir a mesma quantidade de carboidratos que uma pessoal saudável, assim como de fibras e gorduras apenas as proteínas devem ser restringidas somente se houver algum problema renal (que é bastante comum no diabetes).

Os carboidratos devem ser preferencialmente os integais por conterem maior quantidade de fibras e assim evitar picos na glicemia e também por ajudarem na redução de colesterol plasmático, além de serem muito mais saudáveis apresentando mais vitaminas que os refinados.

Os carboidratos simples podem ser ingeridos desde que façam parte da contagem de carboidratos e essa não exceda o limite tolerado pelo paciente. Cada calculo é individual.

Pode-se perceber, então o quanto é importante que a contagem de carboidratos seja feita e não somente uma lista de proibidos e permitidos. Até porque até as proteínas, mesmo que de forma menos “agressiva” que os carboidrato, também elevam a glicemia e devem ser contabilizadas.

Deixo, então, meu recado aos portadores de diabetes, familiares, amigos que procurem um nutricionista qualificado para que o cálculo de contagem de carboidratos seja feito e assim as refeições seja um momento de prazer. E ai profissionais de saúde que ainda não a fazem, que se interem do assunto e facilitem a vida de seus pacientes.





Jornada de trabalho de 30 para nutricionitas APROVADA

15 02 2011

O projeto de lei que determina redução da carga horária de nutricionistas para 30 horas foi aprovado no Senado
e aguarda somente a sanção da Presidente da República.
 
 
A FNN solicita que assinem o abaixo assinado de apoio à
aprovação definitiva do projeto: http://www.fnn.org.br/abaixoassinado3.php.





Perca 10Kg em 2 semanas, 20 em 3…fique forte e musculoso sem fazer esforço…blábláblá…

8 02 2011

POR QUE EVA COMEU A MAÇÃ ?

Não foi assim “facinho” não!!!
No início, Eva não queria comer a maçã.
– Come ! – disse a serpente astuta – e serás como os anjos!
– Não – respondeu Eva. Virando a cara para o lado!
– Terás o conhecimento do Bem e do Mal – insistiu a víbora.
Eva cruzou os braços, olhou bem na cara da serpente e respondeu firme: Não!
– Serás imortal.
– Não! Já disse!
– Serás como Deus!
– NÃO e NÃO! Já disse que NÃO!
Irritadíssima, quase enfiando a maçã goela abaixo, a serpente já estava desesperada e não sabia mais o que fazer para que aquela mulher, de princípios tão rígidos e personalidade tão forte comesse a maçã.
Até que teve uma idéia, já que nenhum dos argumentos haviam funcionado…
Ofereceu novamente a fruta e disse com um sorrizinho maroto:
Come, boba!!! EMAGRECE!!!
Foi tiro e queda!!!
(autor desconhecido)

Engraçado?!? Eu não diria isso… Na verdade é muito sério…

É isso que algumas empresas fazem ao divulgar seus produtos, enganando a população e fazendo com que você consuma algo que na maioria das vezes é viciante, e só faz efeito se você continuar usando, ou seja, quando acha que o tratamento acabou ganha o dobro de peso e tem que começar tudo de novo.

Não tenho a intenção de difamar nenhum produto encontrado no mercado, mas tenho o dever de alertar você sobre estas dietas malucas, shakes milagrosos, aparelhos, massagens…Alguns realmente fazem efeito e são bons pra sua saúde, mas como saber? Pra isso é necessário procurar ajuda de um nutricionista qualificado que te direcionará quanto a qual produto escolher.

Emagrecer não é algo tão simples assim, você tem que pensar que levou anos para chegar ao peso que está hoje e não será em 1 ou 2 semanas que eles irão desaparecer, pelo menos, não de uma forma saudável. Mas se sua intenção é ficar magérrima e doente, siga em frente, opte pela dieta mais louca que encontrar.

Para emagrecer você precisa gastar mais do que ingere, e não ingerir pouco porque não quer gastar. Uma dieta balanceada, rica em vitaminas e minerais, fibras, que contenha a quantidade adequada de carboidrato, proteína e gordura associada a prática de exercício físico (sempre com acompanhamento de um profissional) com certeza fará com que você perca gordura, ganhe massa muscular e fique com shape que você deseja de forma saudável e segura.

Mas meu recado não é só aqueles que querem perder as gordurinhas em excesso. Os que desejam ficar “musculosos”, “bombados”, “trincados” também devem ficar atentos. O uso indiscriminado de suplementos pode fazer muito mal a sua saúde. E ainda tem os que preferem as “bombas” ou anabolizantes, um desastre.

Por isso, meus amigos, vamos ligar nosso lado crítico e pesquisar se realmente aquele produto que você viu é bom de VERDADE. Na dúvida procure um nutricionista para te auxiliar e mande suas dúvias para mim, posso não saber a resposta, mas sei onde procurar por ela. 





Aumento no preço do óleo de soja pode fazer bem para sua saúde…

7 02 2011

É isso ai…

Mesmo com record de exportação o preço do óleo de soja subiu quase 10%. Nos supermercados o preço é em média de R$2,90, quase R$1,00 a mais que no ano passado…

Mas, como isso pode ajudar sua saúde?

Diminuindo a quantidade de óleo colocado nas preparações, além da quantidade de alimentos fritos e quitandas.

Por exemplo, 3 copos americanos de arroz podem ser feitos com 2 colheres de sopa de óleo. O feijão também não precisa de muito e pra fazer o bife um fio de óleo na panela já basta.

Mas nós não precisamos de óleo? Sim, precisamos, mas a quantidade usada ultrapassa a quantidade ideal de consumo e podemos obter de outras formas como no azeite, abacate, castanhas. Assim você garante uma quantidade ádequada e saudável de óleo.

Para saber se está usando a quantidade correta é só calcular. O MÁXIMO de óleo por pessoa é de meia garrafa (450ml) por mês.

É importante saber também que em temperaturas muito elevadas o óleo vegetal se transforma e gordura saturada. Mais um motivo para reduzir a quatidade usadas nas preparações.

 

Veja a matéria completa no site do Megaminas