Crianças praticantes de atividade física x Isotônicos e energéticos

25 06 2012

Bebidas isotônicas e energéticas podem ser ingeridas por crianças e adolescentes praticantes de atividade física?

Não. A ingestão de bebidas energéticas apresenta riscos potenciais para a saúde principalmente devido ao conteúdo estimulante e, portanto, não são apropriados para crianças e adolescentes praticantes de atividade física. Esta é a orientação do Comitê de Nutrição da Academia Americana de Pediatria (CNAAP) e o Conselho de Medicina do Esporte e Fitness (CMEF), que realizaram uma revisão exaustiva da literatura entre 2000 a 2009.

Porque não?

São bastante calóricas, podendo assim aumentar o risco de sobrepeso e obesidade e erosão dental.

Um estudo demonstrou que 57% das crianças e adolescentes entre 11 e 14 anos que ingeriram isotônicos apresentaram erosão dental, provavelmente pela desmineralização do esmalte do dente.

Algumas crianças e adolescentes que são atletas, podem usar os isotônicos, mas sempre com orientação de nutricionista para que não haja nenhum prejuízo a saúde, mas para a maioria deles é desnecessário.

 

O que preferir?

Sucos, água de coco e água mineral.





Isotônicos e Energético – Afinal qual a diferença entre eles

5 06 2012

Percebo em meu consultório que muitos ainda tem dúvidas sobre a diferença entre energéticos e isotônicos.

Preparei uma tabela para esclarecer essas dúvidas.

Clique na imagem para ampliar

De acordo com a RDC 18/2010 da Anvisa, capítulo III e artigo 6º, os suplementos hidroeletrolíticos para atletas devem atender aos seguintes requisitos:

I – a concentração de sódio no produto pronto para consumo deve estar entre 460 e 1150 mg/l, devendo ser utilizados sais inorgânicos para fins alimentícios como fonte de sódio;
II – a osmolalidade do produto pronto para consumo deve ser inferior a 330 mOsm/kg água;
III – os carboidratos podem constituir até 8% do produto pronto para consumo;
IV – o produto pode ser adicionado de vitaminas e minerais, conforme Regulamento Técnico específico sobre adição de nutrientes essenciais;
V – o produto pode ser adicionado de potássio em até 700 mg/l;
VI – o produto não pode ser adicionado de outros nutrientes e de outros componentes que não sejam considerados nutrientes;
VII – o produto não pode ser adicionado de fibras alimentares.
§1°. Quanto ao tipo de carboidrato, referente ao inciso III, este produto não pode ser adicionado de amidos e poliois.
§2°. Com relação ao teor de carboidratos, constante do inciso III, o teor de frutose, quando adicionada, não pode ser superior a 3% do produto pronto para o consumo.

Segundo a RDC 18/2010 da Anvisa, capítulo III e artigo 7º, os suplementos energéticos para atletas devem atender aos seguintes requisitos:

I – o produto pronto para consumo deve conter, no mínimo, 75% do valor energético total proveniente dos carboidratos;
II – a quantidade de carboidratos deve ser de, no mínimo, 15 g na porção do produto pronto para consumo;
III – este produto pode ser adicionado de vitaminas e minerais, conforme Regulamento Técnico específico sobre adição de nutrientes essenciais;
IV – este produto pode conter lipídios, proteínas intactas e ou parcialmente hidrolisadas;
V – este produto não pode ser adicionado de fibras alimentares e de não nutrientes.

Fonte: Nutritotal





Um suco poderoso e saboroso para completar sua alimentação

25 04 2012

Ingredientes:

1 beterraba média

1 cenoura média

2 maçãs médias

1 xícara (de chá) de acerola

1 colher de gengibre picado

1 litro de água gelada

 

Bata tudo no liquidificador, adoce como de preferência e beba sem coar.

 

Porque beber?

Beterraba:

Rica em ácido fólico e vitaminas do complexo B, a beterraba estimula a produção de energia para o corpo, ajuda na melhora do funcionamento do sistema nervoso e disposição. É um ótimo alimento para garantir a ingestão natural de ácido fólico. A vitamina A e K presentes na beterraba ajudam na prevenção de infecções e estimulam a cicatrização, melhorando a aparência de cicatrizes e rugas. Rica também em potássio, que ajuda a controlar a pressão arterial e o sódio presente no organismo, ainda diminui a retenção de líquido em membros inferiores e abdome. Diminui a frequência de câimbras e dores musculares e melhora a definição da musculatura trabalhada no corpo. As betalaínas melhoram o fluxo sanguíneo cerebral, levando mais oxigênio ao cérebro ajuda a prevenir demência, estimula a memória e concentração.  Por ser rica em nutrientes antioxidantes previne o envelhecimento precoce e diversas doenças cardiovasculares, câncer. E ainda estimula o bronzeado saudável e natural, deixando uma cor mais homogênia e dourada, além de ajudar no combate a acne.

Cenoura:

Fonte de fibra, nutrientes antioxidantes, vitamina A, B2, B3 e C, cálcio e fósforo. Assim como a beterraba ajuda no bronzeamento natural. Seus nutrientes principais fazem com que a pele fique mais bonita e saudável, evitando manchas e rugas, previne alguns tipos de câncer, reduz taxas de colesterol, auxilia no funcionamento do sistema imunológico, previne cataratas, fortalece os músculos, combate a anemia e auxilia no tratamento de diabetes.

Maçã:

Melhora o funcionamento intestinal, auxiliando na eliminação de resíduos e consequentemente no emagrecimento. Estudo importantes apontam que a maçã ajuda na prevenção de vários tipos de câncer, doença cardiovascular, asma, diabetes tipo II e, melhora da função pulmonar. Apresenta uma potente ação antioxidante por se rica em vitamina C e A. Ela tem efeito inibidor de crescimento de células canceroas do fígado e cólon (mas não substitui o tratamento). Auxilia também na diminuição das taxas de colesterol.

Acerola:

É rica em vitamina C, A, complexo B, ferro, cálcio, fósforo. Ajuda no combate a gripe, doenças do pulmão, reumatismo. Auxilia na cicatrização de feridas. E uma das frutas mais ricasem vitamina C, indispensável para a síntese de colágeno, prevenindo o envelhecimento precoce, aparecimento de estrias, fortalece o sistema imunológico, melhora a absorção de ferro e de cálcio (importante para ossos, dentes e músculos). Ajuda na prevenção de infecções no fígado, vesícula biliar e pulmão.

Gengibre:

Tem ação bactericida, desintoxicante e possui poder afrodisíaco. Auxilia na digestão, evitando enjoos, náuseas, refluxo. Ele também é termogênico (aumenta o metabolismo auxiliando no emagrecimento e dando mais disposição) e usado no tratamento de dores de cabeça, rouquidão, dor de garganta, gripes, tosses, resfriados. Ele é rico em vitamina C, B3 e B6, cálcio, ferro, selênio e zinco.

 

Deu pra perceber que este suco é uma bomba de benefícios que vão desde a estética até prevenção de doenças.

Eu indico que ele seja tomado nos lanches da manhã ou da tarde, que são lanches mais leves, mas precisam de muitos nutrientes. Não se esqueça de que não pode ser coado para aproveitar todos os nutrientes e principalmente as fibras, pro intestino funcionar direitinho.

Adoce da maneira que estiver acostumado, mas não exagere, ok! A beterraba e a cenoura já tem sabor adocicado.

Geladinho é mais gostoso.

 

Ofereça pra crianças e idoso, a cor é bem atrativa e eles ingerem bastante nutrientes de uma só vez.





DIA DAS CRIANÇAS: Nutra seu baixinho!!!

12 10 2011

A infância é um dos períodos de maior crescimento e desenvolvimento da pessoa. Na fase pré-escolar esse crescimento declina e junto com ele o apetite, assim as crianças comem menos e para não deixar os filhos com fome os pais (avós, tios, irmão..enfim, os responsáveis por eles) oferecem alimentos que “agradam” mais o paladar da criança, que são os doces, chocolates, salgadinhos, balas, biscoitos, sanduíches. Essa atitude, muitas vezes de desespero por não ver o filho comer, é bastante prejudicial a saúde dele já que esses alimentos oferecem uma carga calórica, de açúcar, gordura e caloria muito alta e de vitaminas e minerais muito baixa, então as crianças começam a ganhar peso.

Na fase escolar (7 a 10 anos) há maior reserva energética para que possa ocorrer o estirão pubertário, nessa fase eles comem mais e como já se acostumaram a ingerir os alimentos supérfluos, na maioria das vezes, não aceitam os mais saudáveis (arroz, feijão, carne, saladas, frutas) o que fará com que o ganho de peso seja ainda maior. Esse excesso de peso não é gasto durante a puberdade e a criança obesa (que antes era “bonitinha”) virou um adolescente obeso com complexos, baixa auto-estima, problemas de saúde e psicológicos.

Na minha opinião, a alimentação nessas fases (pré-escolar e escolar) é a mais importante e é nesse período que os hábitos são estabelecidos e consequentemente o estado de saúde do indivíduo na vida adulta. Para que as crianças “comam bem” é imprescindível que os pais também tenham hábitos saudáveis, afinal eles são o (primeiro) exemplo que o filho seguirá. A escola é a outra responsável pela educação nutricional da criança, se a escola oferece (tanto na cantina, como na lanchonete) alimentos sem valor nutritivo, a criança vai comer, mas se a escola oferece uma alimentação balanceada, ou vende na lanchonete sanduíches menos calóricos, com mais nutrientes, sucos naturais ou picolés de frutas as crianças vão optar e se acostumar com estes alimentos, e assim prevenirão a maioria das doenças.

 

Orientações básicas:

– É necessário estabelecer uma rotina de horários para a alimentação por meio de horários (3 em 3 horas ou 2 em duas horas).

– Evitar o consumo de líquidos durante as refeições. Eles podem ser oferecidos após as refeições, de preferência sucos de frutas, água mineral ou água de coco.

– É recomendado que a criança descanse de 10  a 15 minutos antes das refeições pois se estiver cansada ou superestimulada com brincadeiras podem não aceitar a refeição.

– Deve-se evitar comportamentos como o oferecimento de recompensa, chantagens e brincadeiras para fazer a criança comer, pois reforça a idéia de que o alimento é ruim e é preciso oferecer algo de bom para que possa suportar.

– Evitar também punições e castigos, pois ao forçar a comer pode-se gerar aversão aos alimentos e assim, desenvolver anorexia verdadeira.

– Oferecer alimentos com textura e sabor apropriados para a idade da criança, respeitando-se as preferências individuais tanto quanto possível. Se a criança recusar sistematicamente um determinado alimento substitua-o por outro que seja do mesmo grupo de alimentos.

– Incentivar a criança a explorar o alimento, sentindo cheiro, textura com as mãos, e depois experimentar para sentir o sabor. A criança só passa a aceitar o alimento depois de conhecer o seu sabor e isso só ocorre quando, em média, experimenta oito a nove vezes o mesmo alimento.

– O apetite está relacionado a fatores como aspecto, cores dos alimentos e diversificação do cardápio. Isso não significa que para a criança aceitar os alimentos, os pratos devem estar sempre enfeitados, mas sim, ser composto com alimentos de várias cores e ter aspecto saboroso para estimular o apetite.

– Guloseimas como doces, balas e salgadinhos não devem ser proibidos porque estimularão ainda mais a curiosidade da criança, mas podem ser consumidos em horários adequados e em quantidades suficientes para não atrapalharem o apetite na próxima refeição e nem substituí-la.

– Nas refeições a criança deve estar acomodada a mesa como os outros membros da família, sem fatores que a distraiam, como televisão e brincadeiras. A aceitação por novos alimentos se dá por condicionamento social, portanto, é bom que a criança observe outras pessoas, para imitá-las.

-O ambiente a hora da refeição deve ser calmo e tranqüilo, pois facilita a confiança e o prazer da criança em se alimentar.

– A disciplina à mesa deverá ser exigida apenas no que é próprio para a idade da criança, pois se for rígida demais, a alimentação poderá ser evitada, por se relacionar a conflitos e frustrações.

– Para o escolar o horário das refeições deve-se ajustar as atividades familiares e escolares, porém é importante estabelecer e seguir uma rotina.

– Não forçá-lo a comer alimentos que não queira, mas estimulá-lo a experimentar novos sabores.

– Caso p escolar mostre-se inapetente nas principais refeições, verificar os alimentos que está consumindo entre as refeições.

– Atenção ao consumo de fast food que geralmente tendem a ser muito calóricos, ricos em gorduras, açúcares e sódio, porém com baixo valor nutritivo, especialmente pobre em cálcio, fibras e vitaminas A e C. Se esses alimentos são incluídos esporadicamente na alimentação, como parte da socialização do escolar, não acarreta riscos a saúde.

 

Sega essas dicas simples e procure um nutricionista para te orientar individualmente, ok!

 AH! Confira dicas muito legais de outras nutricionistas na minha fun page do facebook. Lá tem um monte de links de receitas e orientações especiais para você e seu filhote!

 

Feliz dia das crianças pros baixinhos e altinhos…





Hidratação – Entrevista ao programa Papo de Butiquim da TV Vitoriosa

18 09 2011

Nessa sexta-feira dia 17 fui convidada a dar uma entrevista no programa, da Rede Vitoriosa, Papo de Butiquim. O primeiro e o segundo bloco foram baseados em hidratação, clima e temperatura. Além de mim foram convidados também o Professor de Climatologia da UFU, Paulo César Mendes e os cantores sertanejos Paulo Cesar e Juliano.

 

A maior parte do corpo de uma pessoa saudável é água, de 60 a 70%. A água participa das reações metabólicas no nosso organismo, é solvente, transporta gases, alimentos e a maioria das vitaminas, participa da produção de saliva, lágrima, da lubrificação das articulações facilitando os movimentos, é importante no processo digestivo e na produção de suor, mantém as secreções nasais úmidas para chegar ar ao pulmão na umidade adequada.

Nós perdemos bastante líquido durante o dia. Pela pele e pelos pulmões perdemos de 700 a 800ml de água por dia, que é uma perda natural e nem percebemos. E ainda tem a perda pelo suor que é de aproximadamente 100ml nos dias normais e, nos dias mais secos e quentes atinge até 2 litros por dia, quando pratica atividade física perde ainda mais. Por isso é muito importante repor.

Ainda perdemos nas fezes e urina. Se não houver uma hidratação adequada as fezes ficam endurecidas e causam diversos problemas como hemorróidas inflamadas e até o câncer. E a urina amarelada e com odor forte pode significar sobrecarga renal e causar, por exemplo cálculos (pedras).

Quando reduzimos de 4 a 5% da quantidade de água, já temos comprometimento de 20 a 30% da capacidade de trabalho do osso organismo.

Crianças até 6 meses de idade com aleitamento materno exclusivo não precisam tomar água.

Um adulto saudável precisa de cerca de 35ml/Kg.

É bom ter atenção especial com obesos que tem o percentual de gordura muito elevado e por isso o de água é menos, então qualquer perda é significativa. Com idosos que perdem o senso de sede e por isso esquecem de beber líquido e ainda tem uma porcentagem menor de água no corpo (40 a 50%). E com crianças que por terem o metabolismo mais acelerado perdem muito líquido.

Não beba água somente quando sentir sede. Faça o cálculo da quantidade de líquido que voe precisa por dia e coloque em garrafinhas perto de você, assim fica mais fácil de contar e controlar se está ingerindo a quantidade correta.

Crianças até 10 anos – 100ml/Kg

até 18 anos – 40ml/Kg

18 a 55 anos -35ml/Kg

55 a 65 anos – 30ml/Kg

mais que 60 anos – 25ml/Kg

 

O que beber?

Água mineral filtrada ou fervida, água de coco, frutas e sucos de frutas, verduras, isotônicos (estes devem ser ingeridos, preferencialmente por atletas e com orientação de nutricionista, já que não são todas as pessoas que podem ingerir – por exemplo, hipertensos e pacientes renais não podem!!!)

 

ATENÇÃO: Todas essa orientações são para pessoas saudáveis e com peso normal. Se você tem alguma patologia procure um nutricionista para te dar as orientações adequadas para seu caso.





Vantagens do aleitamento materno

3 08 2011

PARA A MÃE (NUTRIZ):

– Prevenção de hemorragia após o parto: O hormônio ocitocina que favorece a descida do leite pela contração das células mioepiteliais ao redor dos alvéolos mamários, também produz contração da musculatura uterina, contribuindo para a expulsão da placenta e para a redução do sangramento, prevenindo a hemorragia após o parto.

– Emagrecimento: Para a produção de leite, ocorre mobilização das reservas adiposas maternas, acumuladas durante a gestação, colaborando com o retorno do peso materno normal.

– É reconhecida como um método contraceptivo natural: O aleitamento materno exclusivo em livre demanda exerce um efeito inibidor sobre a ovulação, mediado por mecanismo de retroalimentação entre hipotálamo, hipófise e ovários. Com a sucção do bebê, ocorre liberação do hormônio prolactina pela glândula hipófise anterior (hormônio que estimula a produção de leite), que também ajuda a suprimir a liberação dos hormônios luteinizantes e folículo estimulante, necessários ao desenvolvimento e à expulsão do óvulo. Assim, com a amamentação, é possível prolongar a infertilidade depois do parto inibindo a ovulação e a menstruação.

– Prevenção de câncer: A proteção contra câncer de mama e de ovário também se relaciona com a prática do aleitamento materno.

– Vínculo mãe-filho: Sabe-se que o contato precoce entre ambos pode influenciar a conduta posterior das mães em relação a seus filhos, o que é expresso no desenvolvimento do apego, no menor índice de rejeição e abandono e, consequentemente, na maior duração do aleitamento materno. Pode-se dizer que as mães que amamentam são menos ansiosas e expressão maior satisfação em alimentar e interagir com seus bebês.

 

PARA O BEBÊ (LACTENTE):

– Crescimento e desenvolvimento adequado: Por garantir os nutrientes necessários.

– Crianças amamentadas com leite materno têm um escore no desenvolvimento cognitivo significativamente maior do que os amamentados com fórmulas lácteas.

– Maior estabilidade emocional, e de comportamento, bem como melhor acuidade visual e habilidade motora, provavelmente em razão da presença de ácidos graxos poliinsaturados de cadeia longa (DHA – ácido docosaexaenóico e ácido araquidônico) importantes para o rápido desenvolvimento nervoso imaturo do bebê.

– Sistema imunológico: O aleitamento materno permite a comunicação imunológica entre mãe e filho por meio de hormônios, fatores de crescimento e citoquinas. Os nucleotídeos, glutamina e lactoferrina presentes no leite materno influenciam o desenvolvimento gastrintestinal e a defesa do organismo.

– Diminui a incidência e/ou gravidade de diarréia, infecção respiratória baixa, otite média, bacteremia, meningite bacteriana, botulismo, infecção no trato urinário e enterocolite necronizante.

– Possível efeito protetor contra a síndrome da morte súbita, diabetes insulino-dependente, doença de Chron, colite ulcerativa, linfoma, doenças alérgicas e outras doenças digestivas crônicas, câncer e doenças cardiovasculares.

– Amadurecimento da função oral, pela correta posição durante a demanda, favorecendo o desenvolvimento dos músculos e ossos da face, evitado também os distúrbios dos órgãos fonadores e a síndrome da respiração bucal.

– Contato do lactente com diversos sabores, por meio de compostos químicos de aroma e sabor presentes no leite materno, e que refletem diretamente os alimentos ingeridos pela mãe, que contribui para a melhor aceitação dos alimentos complementares, bem como familiariza o lactente com tipos e intensidade de sabores da cultura e da região a qual pertence.

PARA A FAMÍLIA:

– O aleitamento artificial acarreta custo adicional no orçamento da família, no qual deve ser considerado o valor do alimento substituto utilizado como também de todos os utensílios, equipamentos e tempo dispensado para preparo.

– Risco de diarréia, custos médicos, medicamentos, internação, falta dos pais ao trabalho por meio de doença da criança.

– O leite materno está sempre pronto para o consumo, com composição e temperatura adequada, proteção contra algumas doenças infantis e também doenças futuras do adulto.

– Aleitamento materno contribui para um melhor desenvolvimento emocional, social e psicomotor nas crianças.

 

FONTE:

Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia (Chemim, Mura)





Seu filho não come? Veja algumas dicas de pratos coloridos e divertidos

3 06 2011

Muitas mães reclamam que seus filhos não comem nada, que só querem beber leite, que não não gostam de salada, enfim…só as mães entendem como é difícil intrduzir uma alimentação saudável.

Pesquisando na internet achei alguns pratos decorados para crianas. Geralmente vemos muias carinhas de palhaço, cachorrinho, mas esses são realmente diferentes e criativos. Não conegui encontrar os ingredientes de cada prato, mas basta usar também a sua criatividade e compor pratos como estes. Você pode usar frutas, folhas, flore comestíveis, omelete, verduras…não há limite… O importante é oferecer uma alimentação de qualidade, com bastante cores para garantir muitas vitaminas e minerais.

 

Veja abaixo algumas dicas que encontrei no site da uol

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Fonte: http://educacao.uol.com.br/album/marmita_album.jhtm#fotoNav=1