Crianças praticantes de atividade física x Isotônicos e energéticos

25 06 2012

Bebidas isotônicas e energéticas podem ser ingeridas por crianças e adolescentes praticantes de atividade física?

Não. A ingestão de bebidas energéticas apresenta riscos potenciais para a saúde principalmente devido ao conteúdo estimulante e, portanto, não são apropriados para crianças e adolescentes praticantes de atividade física. Esta é a orientação do Comitê de Nutrição da Academia Americana de Pediatria (CNAAP) e o Conselho de Medicina do Esporte e Fitness (CMEF), que realizaram uma revisão exaustiva da literatura entre 2000 a 2009.

Porque não?

São bastante calóricas, podendo assim aumentar o risco de sobrepeso e obesidade e erosão dental.

Um estudo demonstrou que 57% das crianças e adolescentes entre 11 e 14 anos que ingeriram isotônicos apresentaram erosão dental, provavelmente pela desmineralização do esmalte do dente.

Algumas crianças e adolescentes que são atletas, podem usar os isotônicos, mas sempre com orientação de nutricionista para que não haja nenhum prejuízo a saúde, mas para a maioria deles é desnecessário.

 

O que preferir?

Sucos, água de coco e água mineral.

Anúncios




Fuja do Diabetes

2 05 2012

Sedentários de plantão, um estudo recente, de pesquisadores da Northwestern University, concluiu que indivíduos que não praticam atividade física após os 20 anos de idade tem mais chances de contrair Diabetes tipo II. Eles analisaram 3.989 pessoas durante 20 anos e constaram que a explicação para esse fato é que nas pessoas com mais de 20 anos setentárias o IMC (Índice de Massa Corporal) foi maior.

Atenção!!! Procurem um educador físico e encontre um exercício que seja específico para seu caso e que você goste.

 

Saiba mais sobre dibetes aqui: Diabates





Nutrição aplicada a atividade física

18 01 2011

Além do lado estético e redução da obesidade a prática de atividade física é apontada como um dos fatores importantes para a prevenção, tratamento e cura de algumas doenças como diabetes, câncer de cólon e de útero, doenças do coração e outras.

Tanto o atleta quanto os praticantes de atividade física necessitam de uma alimentação saudável, seja para atigir os objeticos estéticos ou de saúde esperados, seja para melhorar o desempenho e prevenir lesões e infecções que prejudicam a competição.

É comum ouvir nas academias a preocupação em atingir o peso ideal, ganhar massa, ficar bombado. E por isso o foco está nos suplementos protéicos, caloricos ou nos termigênicos. Eles são muito importantes e podem ajudar muito se usados adequadamente. Mas também existem outros pontos que precisam ser lembrados para garantia de saúde, que são as vitaminas e minerais.

– Para produção de energia, síntese e degradação dos compostos as vitaminas lipossolúveis – A, D, E e K – são essenciais.

– Os carboidartos são utilizados para formação de energia com ajuda das vitaminas do complexo B que são reguladoras do processo aeróbico.

– As vitaminas antioxidantes (C, E e A) atuam como “varredoras” de radicais livres, que são amplamente produzidos durante a atividade física, prevendindo enfermidades como câncer, diabetes e cardiovasculares.

– A carência de vitaminas do complexo B altera o metabolismo energético, ocasiona prejuízos na função neuromotora e consequentemente fadica, dores musculares, náuseas, anorexia, depressão e queda de desempenho.

– A baixa ingestão de vitamina A e outros antioxidantes além de agravar danos causados pelos radicais livres, causa prejuízo na imunidade predispondo a infecções.

– O cálcio é importantissimo para a contração muscular e sua deficiência aumenta o risco de fraturas e causa osteoporose e osteopenia.

– O ferro ajuda no transporte de oxigênio e por isso sua falat diminui o rendimento esportivo em razão de sintomas como fadiga, sonolência e falta de concentração, além de causar anemia ferroprova.

– O cromo é responsável pela manutenção da insulina e estimula a síntese protéica.

Zinco, cobre, manganês e selênio são antioxidantes e combatem a produção de radicais livres. O Zinco, além de antioxidante também atua na produção de energia e crescimento e reparo de tecidos.

Entendeu porque é tão importante preocupar-se também com as vitaminas e não somente com suplementos protéicos e termogênicos?

Se você já pratica ativiade física e não se preocupa em ter uma alimentação balanceada, rica em vegetais, frutas, legumes, fibras e pobre em gorduras, mas não deixa de tomar o suplemento pra granhar massa muscular talvez ainda não tenha sentido os sintomas da carencia vitaminica e mineral ou não soube entender os sinais que seu corpo e deu. É importante que você enetenda que os problemas começam de dentro pra fora, ou seja, seu órgãos sentem primeiro e as vezes você nem perceba isso, mas fique atento pois quando você perceber os prejuízos causados por uma alimentação irregular e o excesso de suplementos pode ser tarde demias. 

Fonte: Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia – Sandra M. Chemin S. da Silva e Joana D’Arc Pereira Mura





Alimentação antes, durante e após o exercício

20 07 2010

Alimentação adequada propicia um melhor rendimento durante o treino e uma recuperação mais rápida e eficaz. Por isso fique atento às dicas a seguir.

Antes o exercício

É sempre importante se alimentar antes de treinos, já que grande quantidade de energia será gasta durante o mesmo. Principalmente aqueles que treinam pela manhã, pois passaram um período muito longo de jejum durante o sono e precisam repor a energia.

A refeição antes do exercíco deve ser realizada 1 a 3 horas antes da prática esportiva e conter alimentos ricos em carboidarto (pão, banana, bolo, aveia, lentilha, maçã, barras de cereais, entre outros) porque eles são digeridos mais facilente o que reduz a sensação de desconforto durante a atividade além de ser fonte mais rápida de energia. Dê preferência aos carboidratos integrais, que contém maior quantidade de fibras e por isso vão gerar energia mas lentamente, conseguindo suprir a necessidades por mais tempo . Deve-se moderar os alimentos ricos em proteína (carnes, por exemplo) e evitar as gorduras (frituras…) já que ficaram longo tempo no estomago, pois demoram para serem digeridos, podendo assim causar desconforto durante ó exercício.

É importante também, principalmente antes de competições, que o atleta consuma alimentos familiares a fim de evitar qualquer imprevisto durante a prova.

Não exagerar no volume é outra dica muito importante.

Durante o exercício

Durante o treino deve-se ingerir carboidratos, para aumentar o rendimento e retardar o cansaço, como não é possivel parar o treino ou competição para comer, por exemplo, uma barra de cerais  uma boa dica seriam os suplementos a base de carboidrato em gel, por exemplo o “Carb up – gel”, já que são mais faceis de serem utilizados.

Após o exercício

O objetivo da refeição pós-exercício é oferecer uma quantidade de energia adequada, já que houve um gasto elevado de energia, além de recuperar os danos causados nos músculos (princicalmente quem deseja fazer hipertrofia, ou seja, ficar “malhado”, “trincado”). Para isso contamos mais uma vez com os carboidartos que são ótima fonte de energia e agora com a proteína (carne, leite entre outros).

Para quem quer emagrecer é importante ficar pelo menos 40 minutos de jejum.

E para quem quer ficar “malhado” a proteina pós exercício é essencial.

Gorduras devem ser evitadas antes, durante e após o exercício, mas lembre-se que elas também são importantes para seu organismo e sem elas  não há benefícios na performance.

Por fim, a hidratação é importantíssima em todos os momentos. É a água que faz transporte de nutrientes no organismo, controla a temperatura corporal, lubrifica as articulações e propicia forma ao corpo, além de muitas outras funções.

Uma dica prática é para cada quilo perdido durante o exercício deve-se ingerir ao longo do dia 1 litro a mais de água. Pese antes e depois do exercício e saberá quanto de líquido você perdeu, essa quantidade deve ser reposta. Mas lembre-se 1Kg a menos é igual a 1 litro de água a mais do que já deveria ser tomado (em média 2 litros/dia).

Essas são apenas algumas dicas, para calcular uma dieta adequada é necessário avaliar o horário, tipo, intensidade, duração, frequência do exercício, avaliar também sua composição coporal e muito mais então, para ter um bom rendimento e treinar de maneira saudável o acompanhamento de nutrcionista e educador físico é imprescíndível.