Síndrome dos ovários policísticos – A dieta pode te ajudar

14 10 2011

Ovário PolicísticoOvário normal

 

 

 

 

 

O que é?

Um problema que atinge de 5 a 10% das mulheres, a SOP é caracterizada por hiperandrogenismo, disfunção ovariana e/ou ovários policísticos ao ultrassom.

No ultrassom aparecem muitos folículos ao mesmo tempo na superfície de cada ovário.

O que você sente?

Irregularidade menstrual, podendo ser atrasos ou mesmo a ausência da menstruação.

Dificuldade na ovulação, o que causa dificuldade de engravidar (dificuldade não quer dizer que a mulher não pode engravidar, ok!)

Acne, espinhas, queda de cabelo, pele oleosa e aumento de pesos, sintomas que são chamados de hiperandrogenismo.

Aumento de peso também é comum, mas ainda há dúvidas se é o aumento de peso que causa a anovulação e, portanto, os ovários policísticos, ou se a síndrome causa o aumento de peso. Em alguns casos quando há perda de peso os sinais voltam ao normal.

É preciso tomar cuidado com a resistência insulínica e a síndrome metabólica, há grandes chances de desenvolver esses problemas, que levam a alterações vasculares, diabetes, hipertensão arterial e risco cardiovascular aumentado.

 

A dieta pode te ajudar!!!

A restrição adequada de calorias ajuda na perda de peso.

Uma dieta balanceada com baixo teor de gordura saturada, rica em fibras, alimentos com baixo índice glicêmico e a pratica de atividade física melhora a resistência insulpinica e retorno dos ciclos ovulatórios, mesmo na ausência de perda de peso.

Estudos indicam que as fibras dietéticas (principalmente as solúveis)são muito importantes na modulação hormonal, pois estudos observam que dietas com baixo teor de fibras leva ao aumento das concentrações de estrogênios e androgênios circulantes.

A suplementação de 1,9g de ômega3 por dia é benéfica em mulheres com SOP para modulação hormonal e do perfil lipídico.

 

IMPORTANTE: Essas são somente algumas orientações, procure um nutricionista para cauidar de você e de suas individualidades, ok!

 

REFERÊNCIAS:

Gineco

Nutritotal

Anúncios




Tomate Recheado

13 10 2011

Um prato bonito, nutritivo, que evita o desperdício e muito, mas muito fácil de fazer.

Já tinha comentando sobre o tomate recheado aqui no blog, mas nunca tinha preparado em casa. Então essa semana fiz e a preparação foi aprovadíssima!!!

Antes, saiba porque consumir tomates.

– Ele evita diversos tipos de câncer, inclusive o de próstata.

– É rio em fibras e por isso ajuda a regular o intestino.

– É diurético, sabe aquele inchaço do final do dia? Então ele ajuda a evitar.

– Potente contra infecções, pois auxilia na formação de novas hemáceas e leucócitos.

– Previne aterosclerose.

– Rico em licopeno, um antioxidante natural então, previne o envelhecimento precoce, câncer e muitos outros problemas causados pelos radicais livres.

– Rico em vitamina A, importante para o crescimento e desenvolvimento da criança, previne cegueira noturna, participa da formação de anticorpos.

– Rico em vitaminas do complexo B, atuam no cérebro, na formação de energia, além de muitas outras funções.

– Tem pouquinhas calorias.

– Rico também em vitamina C, que também é antioxidante e ajuda na formação do colágeno,  absorção do ferro, mantém a saúde da pele, gengivas e vasos sanguíneos, redução dos níveis de colesterol e fortalecimento do sistema imunológico.

 

Como recheio você pode usar o sobrou de arroz, feijão e carne do almoço, por exemplo.

Se quiser que sua receita fique ainda mais rica coloque vegetais cozidos, queijo magro…

Com ele você evita o desperdício de alimentos, estimula crianças a consumirem alimentos mais saudáveis e atrativos e tem um prato bonito para servir em um evento especial.

É só usar a criatividade. Pode fazer também cortes diferentes tipo cestinha, triangulinhos  ou onda na borda. É muito fácil de fazer.

Depois é só colocar queijo ralado por cima, umas folhinhas de manjericão, orégano (e o que mais desejar para dar sabor a preparação) e levar ao forno, pode deixar até o queijo derreter e se quiser mais assadinho pode deixar por mais tempo também.

Use e abuse da sua criatividade.

E se tiver alguma criança por perto chame ela para ajudar, com certeza ela vai querer comer depois disso.

 

REFERENCIAS:

EMBRAPA

NUTRIÇÃO EM FOCO





DIA DAS CRIANÇAS: Nutra seu baixinho!!!

12 10 2011

A infância é um dos períodos de maior crescimento e desenvolvimento da pessoa. Na fase pré-escolar esse crescimento declina e junto com ele o apetite, assim as crianças comem menos e para não deixar os filhos com fome os pais (avós, tios, irmão..enfim, os responsáveis por eles) oferecem alimentos que “agradam” mais o paladar da criança, que são os doces, chocolates, salgadinhos, balas, biscoitos, sanduíches. Essa atitude, muitas vezes de desespero por não ver o filho comer, é bastante prejudicial a saúde dele já que esses alimentos oferecem uma carga calórica, de açúcar, gordura e caloria muito alta e de vitaminas e minerais muito baixa, então as crianças começam a ganhar peso.

Na fase escolar (7 a 10 anos) há maior reserva energética para que possa ocorrer o estirão pubertário, nessa fase eles comem mais e como já se acostumaram a ingerir os alimentos supérfluos, na maioria das vezes, não aceitam os mais saudáveis (arroz, feijão, carne, saladas, frutas) o que fará com que o ganho de peso seja ainda maior. Esse excesso de peso não é gasto durante a puberdade e a criança obesa (que antes era “bonitinha”) virou um adolescente obeso com complexos, baixa auto-estima, problemas de saúde e psicológicos.

Na minha opinião, a alimentação nessas fases (pré-escolar e escolar) é a mais importante e é nesse período que os hábitos são estabelecidos e consequentemente o estado de saúde do indivíduo na vida adulta. Para que as crianças “comam bem” é imprescindível que os pais também tenham hábitos saudáveis, afinal eles são o (primeiro) exemplo que o filho seguirá. A escola é a outra responsável pela educação nutricional da criança, se a escola oferece (tanto na cantina, como na lanchonete) alimentos sem valor nutritivo, a criança vai comer, mas se a escola oferece uma alimentação balanceada, ou vende na lanchonete sanduíches menos calóricos, com mais nutrientes, sucos naturais ou picolés de frutas as crianças vão optar e se acostumar com estes alimentos, e assim prevenirão a maioria das doenças.

 

Orientações básicas:

– É necessário estabelecer uma rotina de horários para a alimentação por meio de horários (3 em 3 horas ou 2 em duas horas).

– Evitar o consumo de líquidos durante as refeições. Eles podem ser oferecidos após as refeições, de preferência sucos de frutas, água mineral ou água de coco.

– É recomendado que a criança descanse de 10  a 15 minutos antes das refeições pois se estiver cansada ou superestimulada com brincadeiras podem não aceitar a refeição.

– Deve-se evitar comportamentos como o oferecimento de recompensa, chantagens e brincadeiras para fazer a criança comer, pois reforça a idéia de que o alimento é ruim e é preciso oferecer algo de bom para que possa suportar.

– Evitar também punições e castigos, pois ao forçar a comer pode-se gerar aversão aos alimentos e assim, desenvolver anorexia verdadeira.

– Oferecer alimentos com textura e sabor apropriados para a idade da criança, respeitando-se as preferências individuais tanto quanto possível. Se a criança recusar sistematicamente um determinado alimento substitua-o por outro que seja do mesmo grupo de alimentos.

– Incentivar a criança a explorar o alimento, sentindo cheiro, textura com as mãos, e depois experimentar para sentir o sabor. A criança só passa a aceitar o alimento depois de conhecer o seu sabor e isso só ocorre quando, em média, experimenta oito a nove vezes o mesmo alimento.

– O apetite está relacionado a fatores como aspecto, cores dos alimentos e diversificação do cardápio. Isso não significa que para a criança aceitar os alimentos, os pratos devem estar sempre enfeitados, mas sim, ser composto com alimentos de várias cores e ter aspecto saboroso para estimular o apetite.

– Guloseimas como doces, balas e salgadinhos não devem ser proibidos porque estimularão ainda mais a curiosidade da criança, mas podem ser consumidos em horários adequados e em quantidades suficientes para não atrapalharem o apetite na próxima refeição e nem substituí-la.

– Nas refeições a criança deve estar acomodada a mesa como os outros membros da família, sem fatores que a distraiam, como televisão e brincadeiras. A aceitação por novos alimentos se dá por condicionamento social, portanto, é bom que a criança observe outras pessoas, para imitá-las.

-O ambiente a hora da refeição deve ser calmo e tranqüilo, pois facilita a confiança e o prazer da criança em se alimentar.

– A disciplina à mesa deverá ser exigida apenas no que é próprio para a idade da criança, pois se for rígida demais, a alimentação poderá ser evitada, por se relacionar a conflitos e frustrações.

– Para o escolar o horário das refeições deve-se ajustar as atividades familiares e escolares, porém é importante estabelecer e seguir uma rotina.

– Não forçá-lo a comer alimentos que não queira, mas estimulá-lo a experimentar novos sabores.

– Caso p escolar mostre-se inapetente nas principais refeições, verificar os alimentos que está consumindo entre as refeições.

– Atenção ao consumo de fast food que geralmente tendem a ser muito calóricos, ricos em gorduras, açúcares e sódio, porém com baixo valor nutritivo, especialmente pobre em cálcio, fibras e vitaminas A e C. Se esses alimentos são incluídos esporadicamente na alimentação, como parte da socialização do escolar, não acarreta riscos a saúde.

 

Sega essas dicas simples e procure um nutricionista para te orientar individualmente, ok!

 AH! Confira dicas muito legais de outras nutricionistas na minha fun page do facebook. Lá tem um monte de links de receitas e orientações especiais para você e seu filhote!

 

Feliz dia das crianças pros baixinhos e altinhos…





Anfetamina, Sibutramina?? O que você prefere?

6 10 2011

A ANVISA proibiu, nesta terça-feira, a venda de emagrecedores a base de anfetamina (femproporex, anfepramona e manzidol) eles deverão ser retirado do mercado em 60 dias e os pacientes em tratamento com estes devem ser reavaliados. Mas manteve a permissão da venda de sibutramina, mas para isso é necessária a ampliação do controle. Agora o pciente e o médico deverão assinar um termo de informação sobre a eficácia e segurança do medicamento.

 

E você, o que acha disso? Para poder responder é importante saber o que são e quais efeitos causam em seu organismo.

Anfetaminas:

O consumo pode provocar hiperatividade e uma grande necessidade de movimento, podendo aumentar a atenção e concentração (bastante usada por estudantes). Além disso diminuem o sono e a fome (por isso auxiliam no emagrecimento). Também são usadas no tratamento de epilepsia, Parkinson, narcolepsia e danos cerebrais em crianças

O estado de excitação nervosa, euforia, loquacidade e aumento do grau de confiança, pode resultar numa diminuição da auto-crítica. Mas esses efeitos podem se tornar negativos, mais rápido do que se imagina, então a pessoa apresenta fadiga, depressão, apatia ou agressividade (ocasionalmente).

O consumo de anfetaminas pode provocar sede, transpiração, desidratação, diarréia, taquicardia, aumento da tensão arterial, náuseas, má disposição, dor de cabeça, tonturas, vertigens, sono conturbado e pouco reparador. São freqüentes tiques exagerados e anormais da mandíbula ou movimentos estereotipados. Nos casos de perda de apetite devido ao uso constante de anfetaminas, poderá correr o risco de desenvolvimento de uma anorexia nervosa, desnutrição e até morte.

Uma dosagem muito alta pode provocar inquietação, alucinações, aumento da temperatura corporal, taquicardia, náuseas, vômitos, cãibras abdominais, fortes dores no peito, insuficiência respiratória e cianose, aumento da circulação sanguínea, dificuldade de micção, perda de consciência, convulsões e morte.

 

Sibutramina:

A sibutramina age em duas partes do sistema nervoso central: no centro do apetite e no da saciedade. Ambos estão localizados na região do hipotálamo. A droga reduz a captação do neurotransmissor responsável pelo apetite (noradrenalina) e do que causa sensação de saciedade (serotonina), Isso impede que os neurotransmissores entrem nos neurônios. Por isso a pessoa fica com menos apetite e sente mais saciedade, porque os neurônios estão banhados de serotonina e noradrenalina.

Ela é indicada para o tratamento da obesidade quando a perda de peso está clinicamente indicada, deve ser usada em conjunto com dieta e exercícios, como parte de um programa de peso, QUANDO SOMENTE A DIETA E OS EXERCÍCIOS COMPROVAM-SE INEFICIENTES. (Isso significa que você deve tentar dieta e exercícios antes de tomar a sibutramina)

Não é indicada para menores de 18 anos, com problemas cardíacos e renais, tendo em vista a ausência de estudos clínicos. Pacientes com hipertensão dever ser monitorados pois a sibutramina pode elevar os níveis pressóricos.

Pode prejudicar julgamentos, pensamentos ou habilidade motora. Além disso podem causar dor de cabeça, secura da boca, insônia, dor nas costas, vasodilatação, taquicardia, hipertensão, palpitações, anorexia, constipação, aumento do apetite, náusea, dispepsia, vertigem, parestesia, dispnéia, sudorese, alterações do paladar, dismenorréia, convulsões.

Paciente tratados com sibutramina apresentam mais resfriado, sinusite, doenças do aparelho auditivo.

 

Não posso negar que esse medicamento são bem atraentes e oferecem um resultado muito rápido, mas como você puderam ver os benefícios trazem com eles vários efeitos bem desagradáveis. Então eu te apresento algo que mudará sua vida!

A reeducação alimentar!!!

Já ouviu falar dela?

Com reeducação alimentar você atinge o seu objetivo, independente de qual ele seja. Você quer emagrecer? Quer engordar? Quer tratar diabetes? Hipertensão? Doença renal? Tudo isso e muito mais você trata com reeducação alimentar. E de bônus ainda ganha cabelo bonito, hidratado, brilhante, pele saudável, com aparência de mais jovem (prevenção de envelhecimento precoce), sem acne, unhas fortes. E principalmente previne doenças, muitas doenças, dentre elas diabetes, hipertensão, doença renal, gastrite, refluxo, câncer (a maioria deles) etc, etc, etc.

Com a reeducação alimentar você aprende a comer e não passa fome (como passaria com essas dietas de revistas), pelo contrário você se sente saciado o dia todo e não fica com o “estômago pesado” como ficaria se tivesse comido demais.

Com ela você garante o aporte adequado de vitaminas e minerais o que te dará mais saúde.

Alimentos tem poderes que você nem imagina. Além disso tem os fitoterápicos, que são naturais e oferecem bem menos riscos.

Risco da reeducação alimentar:

…..

NENHUM!!! Isso mesmo não existe risco.

E ai?

Qual você vai escolher? Um medicamento que faz efeito, mas tem muitos efeitos indesejáveis (ajuda de um lado e atrapalha de outro) ou uma reeducação alimentar que faz com que você atinja seu objetivo e ainda te traz mais uma série de benefícios.

 

Procure um nutricionista, peça orientação. Pode acreditar, essa é a melhor escolha.

 

REFERÊNCIAS:

Slideshare

Folha UOL

BULA





Peixe: um misto de sabor e saúde

3 10 2011

O consumo de peixes por brasileiros ainda é muito baixo, cerca de 9Kg por pessoa por ano enquanto deveria ser de 12Kg.

Se você não consome peixe na quantidade adequada, de 2 a 3 vezes por semana, então leia os benefícios que essa carne pode trazer a você. Tenho certeza que verá com olhos diferentes.

O peixe tem até 20% menos gordura e calorias que as outras carnes. Alem disso é pobre em gordura saturada e rico em gordura poliinsaturada, especialmente o ômega 3, que traz muitos benefícios a saúde, veja alguns:

– Prevenção de doenças do coração, como infarto, aterosclerose.

– Elevação de HDL o “colesterol bom” e diminuição de LDL o “colesterol ruim”.

– Melhora concentração, memória e desenvolvimento cognitivo.

– Previne alguns tipos de  câncer e doenças inflamatórias.

E por ser pobre em gordura saturada os esses benefícios são potencializados.

Os peixes mais ricos em ômega 3 são os de água salgada (salmão, atum, sardinha, bacalhau…). Os com menor quantidade de gordura são os mais brancos (bacalhau, corvina, pescada…). E os que tem maior quantidade de gordura são os mais escuros (sardinha, salmão…).

Os peixes ainda são ricos em vitaminas do complexo B e Ferro. Além de serem mais leves e terem uma proteína de maior digestibilidade.

 Muitas pessoas não consomem o peixe por não gostarem do sabor. Tente novas receitas, novos restaurantes, novos tipos de peixes. Você vai de gostar de alguns, eu tenho certeza!
O site “Tudo Gostoso” tem quase 3000 receitas de preparações com peixe, não é possível que você não vai gostar de nada.

E ai? Que tal um peixe hoje???