Tenha uma nutricionista em sua escola

2 05 2011

Sabe-se que o número de pessoas obesas aumentou muito nos últimos anos e segundo o IBGE o número de crianças em sobrepeso e obesidade também é bastante alto. Segundo os gráficos publicados no site o percentual de crianças entre 5 e 9 anos com excesso de peso mais que dobrou desde de 89 e o de obesos é assustador. Os dados não são menos preocupantes com adolescentes de 10 a 19 anos.

A maioria destas crianças e adolescentes de 5 a 19 anos estão na maior parte do tempo nas escolas, daí a importância de um profissional capacitado para elaborar os cardápios equilibrados de acordo com as necessidades deles, que são o futuro de nossa geração. Não basta somente colocar algumas verduras no almoço e frutas de lanche, são imprecindíveis cálculos de calorias e nutrientes, para assim oferecer uma alimentação balanceada, equilibrada, harmoniosa e saborosa.

Um histórico de excesso de peso e obesidade na infância e adolescencia faz com que estes sejam adultos com sérios problemas de saúde, como diabetes, hipertensão, infarto e outras doenças cardiovasculares.

 

[clique na imagem para ampliá-la]

ENTRE EM CONTATO E OFEREÇA ALIMENTAÇÃO DE QUALIDADE A SEUS ALUNOS!!!

juliana.nutricao@hotmail.com

 

Anúncios




Alimentação muda as medidas dos brasileiros nos ultimos anos

24 02 2011

Fui convidada para dar palestras para adolescentes do 9º ano em uma escola pública na periferia de Uberlândia, o tema é mudaça das medidas dos brasileiros nos ultimos anos, a autura chegou até a ser comparada com a da população de países ricos.

A matéria estava em um livro de matemática e falava sobre uma reportagem da revista Veja de 1996. Como eu não podia chegar na sala da aula e comentar sobre uma matéria de 1996 pesquisei no site do IBGE e pude mostrar para os alunos que as medidas realmente mudaram, mas a preocupação hoje é outra. E é sobre isso que quero escrever pra vocês.

A preocupação anterio era defict de peso e altura que atingia a maior parte da população principalmente pela baixa renda. Esse fato ainda é presente no Norte e Nordeste e deve receber atenção especial. Mas a maior preocupação hoje é outra. A renda da população aumentou, o trabalho e o estresse também e junto com isso a falta de tempo e de vontade de preparar uma alimentação adequada e saudável, o que fez com que a escolha por alimentos práticos, rápidos e “saborosos” seja feita.

Acontece que esses alimentos práticos, rápidos e “saborosos”, que chamamos de fast food, na maioria das vezes é rico em conservantes, estabilizamtes, flavorizantes e todos esses “antes” fazem muito mal a saúde. Aliado a alimentação inadequada está a falta de exercícios físicos que agrava ainda mais a situação.

 

Além disso tem a questão do status na escola. Afinal qual representa maior poder levar de lanche um pacote de salgadinhos e uma lata de refrigerante ou levar uma maçã???? A resposta dos alunos foi unânime. Ainda tem o preconceito em relação a homens comerem frutas, beberem suco que apesar de horrível, existe. Não é a toa que homens morrem mais cedo, são mais doentes, mais obesos…..

 

Tudo isso contribui para o aumento de infartos, diabetes, hipertensão e até câncer em jovens adultos.

 

Achei a iniciativa da professora em convidar uma nutricionista para conversar sobre esse tema com os alunos muito importante, pois percebi que eles tem várias dúvidas simples em relação a alimentação que se discutidas e explicadas corretamente farão a maior diferença na saúde desses adolescentes.

Os alunos fizeram várias perguntas e interagiram muito. Por isso quero resaltar a importância de conversas como a que eu tive com esses alunos e encorajar nutricionistas fazerem trabalhos como esses.

Fonte:

VEJA

Excesso de peso atinge 38,8 milhões de brasileiros adultos

Em 30 anos, menos crianças desnutridas e mais adolescentes acima do peso

POF 2008-2009: desnutrição cai e peso das crianças brasileiras ultrapassa padrão internacional