Vantagens do aleitamento materno

3 08 2011

PARA A MÃE (NUTRIZ):

– Prevenção de hemorragia após o parto: O hormônio ocitocina que favorece a descida do leite pela contração das células mioepiteliais ao redor dos alvéolos mamários, também produz contração da musculatura uterina, contribuindo para a expulsão da placenta e para a redução do sangramento, prevenindo a hemorragia após o parto.

– Emagrecimento: Para a produção de leite, ocorre mobilização das reservas adiposas maternas, acumuladas durante a gestação, colaborando com o retorno do peso materno normal.

– É reconhecida como um método contraceptivo natural: O aleitamento materno exclusivo em livre demanda exerce um efeito inibidor sobre a ovulação, mediado por mecanismo de retroalimentação entre hipotálamo, hipófise e ovários. Com a sucção do bebê, ocorre liberação do hormônio prolactina pela glândula hipófise anterior (hormônio que estimula a produção de leite), que também ajuda a suprimir a liberação dos hormônios luteinizantes e folículo estimulante, necessários ao desenvolvimento e à expulsão do óvulo. Assim, com a amamentação, é possível prolongar a infertilidade depois do parto inibindo a ovulação e a menstruação.

– Prevenção de câncer: A proteção contra câncer de mama e de ovário também se relaciona com a prática do aleitamento materno.

– Vínculo mãe-filho: Sabe-se que o contato precoce entre ambos pode influenciar a conduta posterior das mães em relação a seus filhos, o que é expresso no desenvolvimento do apego, no menor índice de rejeição e abandono e, consequentemente, na maior duração do aleitamento materno. Pode-se dizer que as mães que amamentam são menos ansiosas e expressão maior satisfação em alimentar e interagir com seus bebês.

 

PARA O BEBÊ (LACTENTE):

– Crescimento e desenvolvimento adequado: Por garantir os nutrientes necessários.

– Crianças amamentadas com leite materno têm um escore no desenvolvimento cognitivo significativamente maior do que os amamentados com fórmulas lácteas.

– Maior estabilidade emocional, e de comportamento, bem como melhor acuidade visual e habilidade motora, provavelmente em razão da presença de ácidos graxos poliinsaturados de cadeia longa (DHA – ácido docosaexaenóico e ácido araquidônico) importantes para o rápido desenvolvimento nervoso imaturo do bebê.

– Sistema imunológico: O aleitamento materno permite a comunicação imunológica entre mãe e filho por meio de hormônios, fatores de crescimento e citoquinas. Os nucleotídeos, glutamina e lactoferrina presentes no leite materno influenciam o desenvolvimento gastrintestinal e a defesa do organismo.

– Diminui a incidência e/ou gravidade de diarréia, infecção respiratória baixa, otite média, bacteremia, meningite bacteriana, botulismo, infecção no trato urinário e enterocolite necronizante.

– Possível efeito protetor contra a síndrome da morte súbita, diabetes insulino-dependente, doença de Chron, colite ulcerativa, linfoma, doenças alérgicas e outras doenças digestivas crônicas, câncer e doenças cardiovasculares.

– Amadurecimento da função oral, pela correta posição durante a demanda, favorecendo o desenvolvimento dos músculos e ossos da face, evitado também os distúrbios dos órgãos fonadores e a síndrome da respiração bucal.

– Contato do lactente com diversos sabores, por meio de compostos químicos de aroma e sabor presentes no leite materno, e que refletem diretamente os alimentos ingeridos pela mãe, que contribui para a melhor aceitação dos alimentos complementares, bem como familiariza o lactente com tipos e intensidade de sabores da cultura e da região a qual pertence.

PARA A FAMÍLIA:

– O aleitamento artificial acarreta custo adicional no orçamento da família, no qual deve ser considerado o valor do alimento substituto utilizado como também de todos os utensílios, equipamentos e tempo dispensado para preparo.

– Risco de diarréia, custos médicos, medicamentos, internação, falta dos pais ao trabalho por meio de doença da criança.

– O leite materno está sempre pronto para o consumo, com composição e temperatura adequada, proteção contra algumas doenças infantis e também doenças futuras do adulto.

– Aleitamento materno contribui para um melhor desenvolvimento emocional, social e psicomotor nas crianças.

 

FONTE:

Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia (Chemim, Mura)

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: