Crianças praticantes de atividade física x Isotônicos e energéticos

25 06 2012

Bebidas isotônicas e energéticas podem ser ingeridas por crianças e adolescentes praticantes de atividade física?

Não. A ingestão de bebidas energéticas apresenta riscos potenciais para a saúde principalmente devido ao conteúdo estimulante e, portanto, não são apropriados para crianças e adolescentes praticantes de atividade física. Esta é a orientação do Comitê de Nutrição da Academia Americana de Pediatria (CNAAP) e o Conselho de Medicina do Esporte e Fitness (CMEF), que realizaram uma revisão exaustiva da literatura entre 2000 a 2009.

Porque não?

São bastante calóricas, podendo assim aumentar o risco de sobrepeso e obesidade e erosão dental.

Um estudo demonstrou que 57% das crianças e adolescentes entre 11 e 14 anos que ingeriram isotônicos apresentaram erosão dental, provavelmente pela desmineralização do esmalte do dente.

Algumas crianças e adolescentes que são atletas, podem usar os isotônicos, mas sempre com orientação de nutricionista para que não haja nenhum prejuízo a saúde, mas para a maioria deles é desnecessário.

 

O que preferir?

Sucos, água de coco e água mineral.





Isotônicos e Energético – Afinal qual a diferença entre eles

5 06 2012

Percebo em meu consultório que muitos ainda tem dúvidas sobre a diferença entre energéticos e isotônicos.

Preparei uma tabela para esclarecer essas dúvidas.

Clique na imagem para ampliar

De acordo com a RDC 18/2010 da Anvisa, capítulo III e artigo 6º, os suplementos hidroeletrolíticos para atletas devem atender aos seguintes requisitos:

I – a concentração de sódio no produto pronto para consumo deve estar entre 460 e 1150 mg/l, devendo ser utilizados sais inorgânicos para fins alimentícios como fonte de sódio;
II – a osmolalidade do produto pronto para consumo deve ser inferior a 330 mOsm/kg água;
III – os carboidratos podem constituir até 8% do produto pronto para consumo;
IV – o produto pode ser adicionado de vitaminas e minerais, conforme Regulamento Técnico específico sobre adição de nutrientes essenciais;
V – o produto pode ser adicionado de potássio em até 700 mg/l;
VI – o produto não pode ser adicionado de outros nutrientes e de outros componentes que não sejam considerados nutrientes;
VII – o produto não pode ser adicionado de fibras alimentares.
§1°. Quanto ao tipo de carboidrato, referente ao inciso III, este produto não pode ser adicionado de amidos e poliois.
§2°. Com relação ao teor de carboidratos, constante do inciso III, o teor de frutose, quando adicionada, não pode ser superior a 3% do produto pronto para o consumo.

Segundo a RDC 18/2010 da Anvisa, capítulo III e artigo 7º, os suplementos energéticos para atletas devem atender aos seguintes requisitos:

I – o produto pronto para consumo deve conter, no mínimo, 75% do valor energético total proveniente dos carboidratos;
II – a quantidade de carboidratos deve ser de, no mínimo, 15 g na porção do produto pronto para consumo;
III – este produto pode ser adicionado de vitaminas e minerais, conforme Regulamento Técnico específico sobre adição de nutrientes essenciais;
IV – este produto pode conter lipídios, proteínas intactas e ou parcialmente hidrolisadas;
V – este produto não pode ser adicionado de fibras alimentares e de não nutrientes.

Fonte: Nutritotal