Projeto que lei que limita quantidade de sal nos alimentos industrializados

19 07 2010

COM ASSESSORIA DA SBC, DEPUTADO LANÇA PROJETO DE REDUÇÃO DO SAL
 

O deputado federal Arlindo Chinaglia, que é médico, falou ontem (dia 26) por 25 minutos na Câmara dos Deputados, para apresentar o primeiro projeto de lei brasileiro que limita a quantidade de sal nos alimentos industrializados, que não poderão ter mais que 400 miligramas por 100 gramas do produto. Os que não se enquadrarem, diz o documento legal, deverão ter um aviso informando que se trata de “Alimento com alto teor de sódio”.

A apresentação do projeto foi feito na presença dos diretores das sociedades brasileiras de Cardiologia, Hipertensão e Nefrologia, sendo de notar que a proposta foi preparada com assessoria da SBC, cujo coordenador de Ação Social, Carlos Alberto Machado, apresentou os trabalhos preparados pelo Funcor e os dados científicos levantados pela entidade, como subsídios para a redação do projeto.

Caso raro na Câmara Federal, o presidente da mesa cumprimentou de público o deputado pela importância do projeto e Chinaglia, em sua apresentação, ressaltou como foi sensibilizado pela campanha da SBC e convencido de que a redução do consumo de sódio vai, em última análise, salvar vidas de brasileiros.

Se aprovado, o projeto de Chinaglia tornará o Brasil um dos raros países do mundo a regulamentar a quantidade de sal.

ASSOCIAÇÕES FÍSICAS DE FÁRMACOS
Também ontem, Dia Nacional de Combate à Hipertensão, a SBC conseguiu a promessa do presidente da Anvisa, Dirceu Raposo de Mello, da realização, nas próximas semanas, de um seminário juntamente com as sociedades médicas, para redação de um protocolo objetivando a dispensação pelas farmácias populares de associações fixas de fármacos hipertensivos. Nas farmácias populares, 90% do custo do medicamento são absorvidos pelo governo.

OPAS PREOCUPADA
Os representantes das sociedades médicas, da Anvisa, do Ministério da Saúde e do Ministério da Agricultura, que é o responsável pela fiscalização dos alimentos industrializados, reuniram-se na Organização Panamericana de Saúde (OPAS), em Brasília, por ocasião do Dia Nacional de Combate à Hipertensão, para discutir a questão do abuso do sal na alimentação. O problema não é só brasileiro, garantem as autoridades da OPAS, que defendem a necessidade de somatória de esforços para obter resultados difíceis, se forem tomadas ações isoladas.

A proposta da OPAS é criar ações que levem à redução do consumo do sal e, consequentemente, à baixa da hipertensão arterial em todos os países do continente. Para a organização internacional, o consumo no Brasil é de 4,5 gramas de sódio por dia por habitante, quando o limite recomendado é de 2 gramas de sódio. Para a diretora Financeira da SBC, Andréa Brandão, é consenso médico de que, mesmo para os normotensos, é importante limitar o consumo de sal.

A OPAS pretende que, juntamente com as autoridades e as sociedades médicas, sejam criadas campanhas que levem à rotulagem mais clara dos alimentos, principalmente dos embutidos, ao esclarecimento da população, de que é exemplo o Selo de Aprovação da SBC, concedido a alimentos industrializados saudáveis.

Conheça o texto do projeto de lei. Clique aqui.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Jornalista Responsável: Luiz Roberto Queiroz


Ações

Information

One response

6 07 2011
Hipertensão Arterial « Nutrição e saúde

[…]  Projeto que lei que limita quantidade de sal nos alimentos industrializados […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: